A forma corporal das super-heroínas dos quadrinhos e a educação para o lazer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0870v27e2022a5423

Palavras-chave:

Educação, Cultura, Histórias em quadrinhos, Lazer

Resumo

Dentre as diversas produções da mídia e da arte, estão as histórias em quadrinhos e, nelas, as super-heroínas que exibem formas condizentes com padrões de beleza corporal estabelecidos socialmente e que influenciam de certa forma os leitores dessas histórias. A escola e as aulas de Educação Física possuem um papel fundamental na construção de novos conhecimentos e são espaços fundamentais para mediações pedagógicas acerca do corpo e da beleza corporal. O objetivo deste artigo foi analisar as formas corporais das super-heroínas de HQs com base em um referencial cultural e suas relações com a educação para o lazer na escola. Para isso, foi desenvolvida uma revisão de literatura, de abordagem qualitativa. Foram consultadas as bases de dados Google Acadêmico e a biblioteca da Universidade Metodista de Piracicaba. Os resultados indicam que o consumo das histórias em quadrinhos como prática de lazer e, especialmente, o consumo da imagem das super-heroínas, pode estar relacionado à produção de desejo por um “corpo ideal”. Busca-se demonstrar como os quadrinhos de super-heroínas podem incentivar ou reforçar a busca por certos padrões de beleza e quantos problemas isso pode gerar nas crianças e jovens que os consomem. Assim, o professor de Educação Física, com base na educação para o lazer, pode levar os alunos a refletirem sobre essas influências no sentido de reverem significados e valores atribuídos ao corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Beiras, A. et al. Gênero e super-heróis: o traçado do corpo masculino pela norma. Psicologia e Sociedade, v. 19, n. 3, p. 62-67, 2007.

Betti, M. Mídia e educação: análise da relação dos meios de comunicação de massa com a educação física e os esportes. In: Seminário Brasileiro em Pedagogia do Esporte, 1998, Santa Maria. Anais eletrônicos [...]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 1998. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/313774344_MIDIA_E_EDUCACAO_Analise_ da_Relacao_dos_Meios_de_Comunicacao_de_Massa_com_a_Educacao_Fisica_e_os_Esportes. Acesso em: 17 ago. 2020.

Botelho, R. G.; Souza, J. M. C. Bullying e educação física na escola: características, casos, consequências e estratégias de intervenção. Revista de Educação Física, v. 139, p. 58-70, 2007.

Corrêa, C. A ficção do mundo real: as utopias tecnológicas dos super-heróis e sua materialização no corpo dos atletas de alto rendimento. 2018. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

Corrêa, C.; Capraro, A. M.; Moraes e Silva, M. Os padrões corporais nas HQs de Batman e Superman (1938-2016). Materiales para la Historia del Deporte, n. 19, p. 14-26, 2019.

Corrêa, C.; Moraes e Silva, M.; Silveira, V. T. O uso da tecnologia nos corpos de atletas e paratletas: as similaridades entre ficção e realidade. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, v. 28, p. 1-28, 2020.

Kofes, S. E sobre o corpo, não é o próprio corpo que fala? Ou, o discurso desse corpo sobre o qual se fala. In: Bruhns, H. Conversando sobre o corpo. São Paulo: Papirus, 1989.

Le Breton, D. Adeus ao corpo. 6. ed. Campinas: Papirus, 2013.

Marcellino, N. C. Estudos do lazer: uma introdução. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2012. (Coleção Educação Física e esportes).

Marcellino, N. C. Lazer e educação. 16. ed. Campinas: Papirus, 2010.

Mauss, M. As técnicas corporais. In: Mauss, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Edusp, 1974.

Moreira, M. D. A construção da imagem corporal nas redes sociais: padrões de beleza e discursos de influenciadores digitais. PERcursos Linguísticos, v. 10, n. 25, p. 144-162, 2020.

Pinto, L. M. S. M. Lazer e educação: desafios da atualidade. In: Marcellino, N. C. (org.). Lazer e sociedade: múltiplas relações. Campinas: Editora Alínea, 2008. p. 45-61. (Coleção Estudos do Lazer).

Prudêncio, N. E. Feminismos midiáticos, empoderamento e a questão do olhar em Mulher-Maravilha. Movimento, n. 14, p. 74-96, 2020.

Requixa, R. Sugestão de diretrizes para uma política nacional de lazer. São Paulo, [s. n.], 1980.

Rigoni, A. C. C.; Nunes, F. G. B.; Fonseca, K. M. O culto ao corpo e suas formas de propagação na rede social facebook: implicações para a Educação Física Escolar. Motrivivência, v. 29, p. 126-143, 2017.

Rossi Filho, S.; Origuela, M. A.; Lopes da Silva, C. A Forma corporal dos super-heróis de histórias em quadrinhos e a educação para o lazer. Coleção Pesquisa em Educação Física, v. 14, n. 4, p. 15-22, 2015.

Santos, K. R. V.; Rechia, S. A.; Vivian, A. T. Educação para o lazer em aulas de Educação Física: desvendando “boas práticas”. Revista Científica Interdisciplinar, v. 5, n. 1, p. 76-90, 2019.

Severino, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Editora Cortez, 2007.

Silva, A. M. Corpo, ciência e mercado: reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo da felicidade. Campinas: Autores Associados, 2001.

Silva, C. L. et al. Experiências pedagógicas a partir de histórias em quadrinhos de super-heróis: educação para o lazer. Licere, v. 21, n. 2, p. 96-135, 2018.

Siqueira, D. C. O.; Vieira, M. F. De comportadas a sedutoras: representações da mulher nos quadrinhos. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 5, n. 13, p. 179-200, 2008.

Stenzel, L. M. Obesidade: o peso da exclusão. Porto Alegre: Edipucrs, 2002.

Wolf, N. O mito da beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

Downloads

Publicado

2022-09-28

Como Citar

Lopes da Silva, C., Sara Patreze, N. ., & Capellini Rigoni, A. C. (2022). A forma corporal das super-heroínas dos quadrinhos e a educação para o lazer. Revista De Educação PUC-Campinas, 27, 1–14. https://doi.org/10.24220/2318-0870v27e2022a5423