Ficção e imaginação no mundo das religiões

Autores

  • Paulo Augusto de Souza Nogueira Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Centro de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião
  • César Carbullanca Nuñes Universidad Católica de Chile, Centro de Estudos de Religión, Facultad de Teologia
  • Magdalena Díaz Araujo Universidad Nacional de Cuyo, Faculdad de Artes y Diseño

DOI:

https://doi.org/10.24220/2447-6803v47e2022a6820

Resumo

Um dos eixos centrais dos estudos de religião se debruça sobre as relações da religião com o poder. Historicamente, os discursos religiosos têm desempenhado um papel de fornecer suporte para ideologias econômicas e políticas que não só mascaram a realidade como também fundamentam relações assimétricas e opressoras nas sociedades. No mundo contemporâneo, o discurso religioso tem tido um papel estratégico na articulação de novas frentes políticas ultraconservadoras, quando não fundamentalistas, que promovem políticas de discriminação racial e misoginia. Dessa forma, a Bíblia e as tradições cristãs, por exemplo, estão sendo cooptadas por uma agenda de extrema direita, fazendo com que o debate político contemporâneo se torne também um debate de ideias religiosas, numa luta por interpretações, ou mesmo pela possibilidade de outras interpretações que não as que se pretende impor. Esse problema se apresenta na sociedade brasileira, por exemplo, na constituição de um discurso religioso conservador interconfessional – de liderança evangélica – aliado a uma agenda política que intenta ser nacionalista e defensora de valores supostamente tradicionais, combatendo frontalmente pautas da diversidade de gênero, de questões ambientais, da defesa dos povos originários etc. Uma das ênfases desses grupos é o ataque do princípio constitucional da laicidade do Estado, promovendo interferências de pautas religiosas específicas nas políticas nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bakhtin, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Bultmann, R. Neues Testament und Mythologie: das Problem der Entmythologisierung der neutestamentlichen

Verkündingung. München: Chr. Kaiser Verlag, 1985.

Deacon, T. The Symbolic Species: the co-evolution of language and the Brain. New York/London: W.W. Norton &

Company, 1997.

Flusser, V. Elogio da superficialidade: o universo das imagens técnicas. São Paulo: É Realizações Editora, 2019.

Iser, W. Ficcionalización: la dimensión atropologica de las ficciones literárias. Cyber Humanitatis, v. 31, p. 1-20, 2004.

Iser, W. The reality of fiction: a functionalist approach to literature. New Literary History, v. 23, n. 4, p. 877-888, 1992.

Lotman, Y. M. La semiosfera I: semiótica de la cultura y del texto. Madrid: Ediciones Cátedra, 1996.

Lotman, Y. M. Estructura del texto artístico. Madrid: Akal, 2011.

Lotman, Y. M. Universe of the mind: a semiotic theory of culture. Indianopolis: Indiana University Press, 2000.

Nogueira, P. A. S. Religião na evolução humana: do paradoxo da linguagem ao homo simbolicus. In: Franco,

C.; Petronio, R. (ed.). Crença e evidência: aproximações e controvérsias entre religião e teoria evolucionária no

pensamento contemporâneo. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2014. p. 231-242.

Styers, R. Making magic: religion, magic, and science in the modern world. Oxford: Oxford University Press, 2004.

Publicado

2022-09-29

Como Citar

Nogueira , P. A. de S., Carbullanca Nuñes , C. ., & Díaz Araujo , M. . (2022). Ficção e imaginação no mundo das religiões. Reflexão, 47, 1–7. https://doi.org/10.24220/2447-6803v47e2022a6820

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)