Autorregulação da aprendizagem: abordagens e desafios para as práticas de ensino em contextos educativos

Lourdes Maria Bragagnolo Frison

Resumo


Este artigo busca conceituar e explicar o construto da autorregulação da aprendizagem, entendida como o controle e a regulação do próprio estudante sobre seus pensamentos, cognição, afeto, motivação, comportamento e a imbricação deste construto na formação de professores. A pesquisa apresentada é resultado da análise de três investigações que mostram a atuação estratégica de professores como aprendentes e ensinantes. Analisa-se o enfoque teórico-metodológico das intervenções realizadas e, ao final, pontuam-se os resultados encontrados nas referidas pesquisas, explicitando as articulações feitas entre elas e os resultados emergidos desses estudos.

Palavras-chave: Ensino. Estratégias de aprendizagem. Formação de professores.


Palavras-chave


Ensino; Estratégias de aprendizagem; Formação de professores

Texto completo:

PDF

Referências


Bandura, A. A evolução da teoria social cognitiva. In: Bandura, A.; Azzi, R.G.; Polydoro, S.A.J. Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p.15-41.

Bardin, L. Análise de conteúdo. 4.ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

Bilhalba, L.P. O desenvolvimento dos conceitos científicos de mecânica por alunos do curso de licenciatura em física: uma intervenção pedagógica alicerçada na teoria histórico-cultural da atividade e nas estratégias da autorregulação da aprendizagem. 2015. Dissertação (Mestrado e, Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal

de Pelotas, Pelotas, 2015.

Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em:. Acesso em: 4 ago. 2010.

Cadório, L.; Veiga Simão, A.M. Mudanças nas concepções e práticas dos professores. Lisboa: Edições Vieira da Silva, 2013.

Damiani, M.F. et al. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, n.45, p.57-67, 2014.

Ferreiro, E.; Teberosky, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

Freitas-Salgado, F. Autorregulação da aprendizagem: intervenção com alunos ingressantes do ensino superior. 2013. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. 2013.

Lopes da Silva, A. Auto-regulação da aprendizagem: a demarcação de um campo de estudo e de intervenção. In: Lopes da Silva, A. et al. (Org.). Aprendizagem autoregulada pelo estudante: perspectivas psicológicas e

educacionais. Porto: Porto Editora, 2004. p.17-39.

Lopes da Silva, A.; Sá, I. Saber estudar e estudar para saber. Porto: Porto Editora, 1997.

Moraes, A. (Org.). Constituição da República Federativa do Brasil. 9.ed. São Paulo: Atlas, 2014.

Pozo, J.I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

Rosa, G.S.G. Produções textuais de crianças do ciclo de alfabetização: uma intervenção pedagógica ancorada na autorregulação da aprendizagem. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

Rosário, P. Estudar o estudar: as (Des)venturas do Testas. Porto: Porto Editora, 2004.

Rosário, P.; Núñez, J.C.; González-Pienda, J. Cartas do Gervásio ao seu Umbigo: comprometer-se com o estudar na educação superior. São Paulo: Almedina Editores, 2012a.

Rosário, P.; Núñez, J.C.; González-Pienda, J. As travessuras do Amarelo. Americana: Adonis, 2012b.

Rosário, P. et al. Auto-regular o aprender que espreita nas salas de aula. In: Abrahão, M.H.M.B. (Org.). Professores e alunos: aprendizagens significativas em comunidades de prática educativa. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2008. p.179-208.

Rosário, P. et al. Programas de promoção da autorregulação ao longo da escolaridade: estórias-ferramenta como motor da aprendizagem. In: Simão, A.M.V. et al. Autorregulação da aprendizagem e narrativas autobiográficas: epistemologia e práticas. Porto Alegre: Edipucrs, 2012c. p.179-207.

Sampaio, R.; Polydoro, S.; Rosário, P. Autorregulação da aprendizagem e a procrastinação acadêmica em estudantes universitários. Cadernos de Educação, n.42, p.119-142, 2013.

Schunk, D.; Zimmerman, B. Conclusions and future directions for academic interventions. In: Schunk, D.; Zimmerman, B. (Ed.). Self-regulated learning: From teaching to self-reflective practice. New York: The Guilford Press, 1998. p.225-235.

Solé, I. Disponibilidade para a aprendizagem e sentido da aprendizagem. In. Coll, C. et al. O construtivismo na sala de aula. São Paulo: Ática, 2001. p.22-42.

Veiga Simão, A.M. O conhecimento estratégico e a auto-regulação da aprendizagem: implicações em contexto escolar. In: Lopes da Silva, A. et al. (Org.). Aprendizagem auto-regulada pelo estudante: perspectivas psicológicas e educacionais. Porto: Porto Editora, 2004. p.77-94.

Veiga Simão, A.M. Auto-regulação da aprendizagem: um desafio para a formação de professores. In: Bizarro, R.; Braga, F. (Org.). Formação de professores de línguas estrangeiras: reflexões, estudos e experiências. Porto: Porto Editora, 2006. p.192-206.

Veiga Simão, A.M.; Frison, L.M. Autorregulação da aprendizagem: abordagens teóricas e desafios para as práticas em contextos educativos. Cadernos de Educação, n.45, p.2-20, 2013.

Vieira, D.C. Estratégias de compreensão leitora ancoradas no construto da aprendizagem autorregulada: uma intervenção pedagógica. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.

Zimmerman, B.J. Development of self-regulated learning: Which are the key subprocesses. Contemporary Educational Psychology, v.11, n.4, p.307-313, 1986.

Zimmerman, B.J. Developing self-fulfilling cycles of academic regulation: An analysis of exemplary instructional models. In: Schunk, D.; Zimmerman, B. (Ed.). Self-regulated learning: From teaching to self-reflective practice. New York: The Guilford Press, 1998. p.1-19.

Zimmerman, B.J. Theories of self-regulated learning and Academic achievement: An overview and analysis. In: Zimmerman, B.; Schunk, D. (Ed.). Self-regulated learning and academic achievement: Theoretical perspectives. New York: Lawrence Erlbaum Associates, 2001. p.1-37.

Zimmerman, B.J. Becoming a self-regulated learner: An overview. Theory into Pratice, v.41, n.2, p.64-70, 2002.

Zimmerman, B.J. From cognitive modeling to self-regulation: A social cognitive carrier path. Educational Psychologist, v.48, n.3, p.135-147, 2013.

Zimmerman, B.J.; Martinez-Pons, M. Development of a structured interview for assessing student use of self--regulated learning strategies. American Educational Research Journal, v.23, p.614-628, 1986.

Zimmerman, B.; Schunk, D.H. (Ed.). Aprendizagem autorregulada e desempenho acadêmico: perspectivas teóricas. 2.ed. Mahawah: Erlbaum, 2001.

Zimmerman, B.; Schunk, D.H. Self-regulating intellectual processes and outcomes: A social cognitive perspective, In: Dai, D.Y.; Steinberg, R.J. (Ed.). Motivation, emotion and cognition: Integrative perspectives on intellectual functioning and development. Mahwah: Lawrence Erlbaum, 2004. p.323-349.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v21n1a2992

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.