A quadrícula como estratégia de desenho urbano das cidades planejadas ao longo da linha férrea na Alta Sorocabana | Grid plan as a strategy for the urban design of the planned cities along the Alta Sorocabana region railway

Autores

  • Arlete Maria Francisco Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0919v18e2021a4781

Palavras-chave:

Alta Sorocabana, Desenho urbano, Estrada de Ferro Sorocabana, Morfologia urbana, Urbanização.

Resumo

Este trabalho apresenta o estudo do desenho urbano de 15 núcleos urbanos implantados no entorno das estações da Estrada de Ferro Sorocabana, na Alta Sorocabana, os quais deram origem a 15 cidades. Tem como objetivo investigar a existência de uma tipologia de desenho urbano e uma forma de produzir cidades na franja pioneira do Estado, contribuindo para a história da urbanização paulista. As análises foram realizadas a partir dos métodos da morfologia urbana ao identificar os componentes formais do plano urbano: as características do sítio, a configuração do traçado e a sua relação com a esplanada ferroviária, o formato das parcelas e os agentes que estiveram envolvidos nessa produção. Foi possível identificar uma tipologia de traçado urbano das cidades em estudo, fruto de um modo de organização da sociedade e das condições econômicas e políticas do início do século XX: grelha em tabuleiro de xadrez, disposta paralelamente à esplanada da linha férrea e tendo a estação ferroviária como marco edificatório.

Biografia do Autor

Arlete Maria Francisco, Universidade Estadual Paulista

Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente, Departamento de Planejamento, Urbanismo e Ambiente

Referências

ABREU, D. S. Formação histórica de uma cidade pioneira paulista. Presidente Prudente: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Prudente, 1972. p. 42.

ALDRIGHI, D. M.; SAES, F. A. M. Financing pioneering railways in São Paulo: the idiossyncratic case of the Estrada de Ferro Sorocabana (1872-1919). Estudos Econômicos, v. 35, n. 1, p. 138-168, 2005. https://doi.org/10.1590/S0101-41612005000100005

AVILA JUNIOR, C. J. Santo Anastácio: história de uma cidade. Santo Anastácio: [S.n.], 1995.

BARKE, M. The importance of urban form as an object of study. In: OLIVEIRA, V. (ed.). Teaching urban morphology. Porto: FEUP, 2018. p. 11-30.

COSTA, S. A. P. Fundamentos da morfologia urbana. Belo Horizonte: C/Arte, 2015.

DALTOZO, J. C. Martinópolis, sua história e sua gente. Martinópolis: Gráfica Martipel, 1999.

ENCICLOPÉDIA digital do Oeste Paulista. Presidente Prudente: Emubra, 2003. Disponível em: http://camarapprudente.sp.gov.br/historia/hist_oeste/index.html. Acesso em: 20 jan. 2017.

ENOKIBARA, M. Praças e jardins do Oeste Paulista: a formação e transformação do espaço público com a introdução da ferrovia. In: SALGADO, I.; BERTONI, A. (org.). Da construção do território ao planejamento das cidades: competências técnicas e saberes profissionais na Europa e nas Américas (1850-1930). São Carlos: RiMa Editora, 2010. p. 189-207.

ERBELLA, I. Presidente Venceslau: nossa terra, nossa gente. 2. ed. Presidente Venceslau: Artes Gráficas Pedriali, 2016.

FRANCISCO, A. M. A EFS como linha de penetração para a ocupação da Alta Sorocabana In: FIORIN, E.; HIRAO. H. (org.). Cidades do interior paulista: patrimônio urbano e arquitetônico. Jundiaí: Paco Editorial, 2015. p. 81-106.

GHIRARDELLO, N. A Influência do sistema métrico francês na ortogonalidade das cidades. Revista Educação Gráfica, v. 1, n. 1, p. 27-32, 1997.

GHIRARDELLO, N. À beira da linha: formações urbanas do noroeste paulista. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br. Acesso em: 27 jan. 2017.

LEITE, J. F. A Alta Sorocabana e o espaço polarizado de Presidente Prudente. Presidente Prudente: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Prudente, 1972.

LEITE, J. F. A ocupação do Pontal do Paranapanema. São Paulo: Hucitec, 1998.

MARX, M. Cidades no Brasil. Terra de quem? São Paulo: Nobel: EdUSP, 1991.

MATOS, O. N. Café e ferrovias: a evolução ferroviária de São Paulo e o desenvolvimento da cultura cafeeira. São Paulo: Alfa-Omega, 1974.

MONBEIG, P. Pioneiros e fazendeiros de São Paulo. São Paulo: Hucitec: Polis, 1984. p. 235-343.

MOREIRA, M. F. S. Ferroviários, trabalho e poder. São Paulo: Editora Unesp, 2008.

MORELI, M. S. N. Conceição e Monte Alegre: cidade isolada no Vale do Paranapanema. 1988. 124 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual Paulista, Assis, 1988.

MORONI, B. G. Presidente Epitácio: 100 anos da fundação da cidade. Presidente Epitácio: Edição do autor, 2011.

MUNFORD, L. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

PANNAIN, R. Estudos básicos para o planejamento municipal de Regente Feijó. Presidente Prudente: Edição do autor, 1980.

PINTO, S. M. G. Regular = planeado versus irregular = espontâneo: nascimento e morte de uma relação dicotômica nos estudos históricos da forma urbana. Revista de Morfologia Urbana, v. 1, n. 1, p. 5-16, 2013.

SANTOS, C. N. F. A cidade como um jogo de cartas. São Paulo: Projeto Editores, 1988.

Downloads

Publicado

23-02-2021

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa