Crioconservação do sêmen da garoupa-verdadeira Epinephelus marginatus

Autores

  • Eduardo Gomes Sanches
  • Idili da Rocha Oliveira
  • Pedro Carlos da Silva Serralheiro

Resumo

Este trabalho teve a finalidade de desenvolver um protocolo de crioconservação do sêmen da garoupa-verdadeira Epinephelus marginatus. Em três experimentos foram analisados os efeitos de três diluentes (pH 6,1; 7,8 e 8,2), quatro diluições (1:0; 1:1; 1:2 e 1:3), seis concentrações de crioprotetor dimetilsulfóxido (0; 2,5; 5,0; 7,5; 10,0 e 12,5%) e cinco velocidades de congelamento (90, 60, 45, 30 e 15°C.min-1) sobre a motilidade e o tempo de motilidade espermáticas no sêmen crioconservado. O sêmen foi congelado em vapor de nitrogênio empregando-se palhetas criogênicas, e posteriormente mantido em nitrogênio líquido. O tratamento que propiciou maior motilidade e tempo de motilidade espermáticas (p<0,05) foi aquele proporcionado pelo emprego do diluente B (pH 7,8), na proporção de 1:3 (v/v), com crioprotetor (dimetilsulfóxido) a 5% e em uma velocidade de congelamento de 60°C.min-1. Estes resultados possibilitaram a implantação do primeiro banco de sêmen da garoupa-verdadeira no Brasil.

Palavras-chave: Crioconservação. Sêmen. Epinephelus marginatus. Garoupaverdadeira. Reprodução. Maricultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-08-14

Como Citar

Sanches, E. G., Oliveira, I. da R., & Serralheiro, P. C. da S. (2012). Crioconservação do sêmen da garoupa-verdadeira Epinephelus marginatus. Bioikos - Título não-Corrente, 22(2). Recuperado de https://periodicos.puc-campinas.edu.br/bioikos/article/view/735

Edição

Seção

Artigos