A indústria e o urbano: aglomerações geradas por fábricas no estado de São Paulo

Telma de Barros Correia

Resumo


Este artigo aborda a criação de aglomerações urbanas por fábricas no estado de São Paulo, durante os séculos XIX e XX, e procura enfatizar a relevância do fenômeno no processo de urbanização do estado tanto em termos do número de aglomerações geradas quanto da importância alcançada por algumas dessas aglomerações. Mostra como várias dessas aglomerações urbanas mantiveram sua condição de pequeno núcleo inserido dentro de uma propriedade particular, enquanto outras, após anos nessa condição, desapareceram voltando à condição rural. Em outros casos, a aglomeração se expandiu e se converteu em cidade ou em bairro de cidade. O texto discute as contingências de surgimento e as características dessas aglomerações, bem como as causas do declínio dessa ação a partir da década de 1950, associado a mudanças na forma urbana e nas indústrias. Essa ação das fábricas - assim como de outros tipos de empresas, como usinas de açúcar, ferrovias, mineradoras e hidroelétricas -, é fundamental para uma compreensão ampla das diversas origens do urbano ao longo do processo de povoamento e de estruturação da rede urbana paulista.

PALAVRAS-CHAVE: Cidades. Fábricas. Núcleos fabris. São Paulo. Urbanização.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMANAQUE de Sorocaba: 1950. Itu: Tipografia Macedo, 1950.

ALUMÍNIO. Histórico do município de Alumínio. Alumínio: Prefeitura Municipal de Alumínio,

?].

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS METAIS. Metalurgia e desenvolvimento: a corrida dos metais no

Brasil. São Paulo: ABM, 1989.

BALLEIRAS, M.H.M. Indústria e habitação: arquitetura fabril no interior de São Paulo. 2002. Dissertação

(Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) — Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade

de São Paulo, São Carlos, 2002.

BANDEIRA JÚNIOR, A.F. A indústria no estado de São Paulo em 1901. São Paulo: Typ. do Diário

Official, 1901.

BLAY, E.A. Habitação: a política e o habitante. In: BLAY, E.A. A luta pelo espaço: textos de sociologia

urbana. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1979. p.75-86.

BLAY, E.A. Eu não tenho onde morar: vilas operárias na cidade de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1985.

CENTRO DOS FABRICANTES NACIONAIS DE PAPEL. A marca d’água no papel de imprensa e a

indústria nacional de papel. São Paulo: Companhia Melhoramentos de São Paulo, [1925].

CORREIA, T.B. A indústria e a moradia operária: as diferentes formas de acesso a casas em

vilas operárias e núcleos fabris. Sinopses, n.28, p.9-18, 1997.

CORREIA, T.B. Moradia operária e memória: o desmonte de Carioba nos anos 80. In:

ENCONTRO EM PATRIMÔNIO INDUSTRIAL, 2004, Campinas. Anais… Campinas:

Unicamp, 2004.

CORREIA, T.B. Art déco e indústria, Brasil décadas de 1930 e 1940. Anais do Museu Paulista,

v.16, n.2, p.47-104, 2008.

CORREIA, T.B. Ornato e despojamento no mundo fabril. Anais do Museu Paulista, v.19,

n.1, p.11-80, 2011.

CUSANO, A. Il Brasile Gl’Italiani e la guerra. Roma: L’Italo-Sudamericana, 1921.

D’ARACE, R.C. Princesa do Norte: história de Pindamonhangaba. São Paulo: Piratininga,

ENGELS, F. Questão do alojamento. Porto: Firmeza, 1975.

GUNN, P.; CORREIA, T.B. A industrialização brasileira e a dimensão geográfica dos estabelecimentos

fabris. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.7, n.1, p.17-53, 2005.

GUNN, P.; CORREIA, T.B. Ascensão e declínio de um modo de morar: vilas operárias e

núcleos fabris no estado de São Paulo. Desígnio, v.6, p.143-164, 2006.

HÁ 40 ANOS nascia em Sorocaba um grande sonho. Cruzeiro do Sul, v.2, n.121, 1986.

INVENTÁRIO de todos os pertences da Real Fabrica do Ferro de São João de Ypanema,

edificios, officinas, armazem, escravos, animaes, ferramentas, maquinas e materiaes. São

Paulo: Condephat, 1821.

JERONYMO, V. Caieiras: núcleo fabril e preservação. 2011. Dissertação (Mestrado em

Arquitetura e Urbanismo) — Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São

Paulo, São Carlos, 2011.

OCTAVIO, B.; MELILLO, V. (Org.). Almanach historico e estatístico de Campinas: 1912.

Campinas: Typ. da Casa Mascote, 1911.

SAINT-HILAIRE, A. Viagem à província de São Paulo. Belo Horizonte: Itatiaia, 1976.

SCANTIMBURGO, J. José Ermírio de Moraes: o homem — a obra. 2.ed. Rio de Janeiro: José

Olympio, 1986.

VICHNEWSKI, H.T. As indústrias Matarazzo no interior paulista: arquitetura fabril e patrimônio

industrial (1920-1960). 2004. Dissertação (Mestrado em História) — Universidade

Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

VOTORANTIM. Votorantim 2000: memórias de uma cidade. Votorantim: Prefeitura Municipal

de Votorantim, 2000.

VOTORANTIM. Memória Votorantim, rumo aos 100 anos. São Paulo: Strotbek & Bravo

Associados, 2006.

ZEQUINI, A.; ANDRADE, V. Papel de Salto: 110 anos de evolução e tecnologia. Salto: Papel

de Salto, 1999.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v10n1a1925

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.