Reflexão sobre os termos comportamento informacional e prática informacional

Autores

  • Kelley Cristine Gonçalves Dias Gasque Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação https://orcid.org/0000-0001-6039-0571

Palavras-chave:

Comportamento informacional, Estudos de usuários, Prática informacional, Terminologia

Resumo

O artigo, parte da revisão de literatura da pesquisa de pós-doutorado da autora, apresenta, por meio de revisão bibliográfica,
a evolução dos estudos de usuários ao comportamento informacional humano. Descreve as principais características das
abordagens behaviorista, cognitivista/interacionista e integrativa/multifacetada, vinculadas ao comportamento informacional.
Mostra a necessidade de uma reflexão mais aprofundada acerca do uso do termo “comportamento informacional” para “prática
informacional”, quando empregados de forma intercambiável, a partir de três pontos de tensão: abrangência da abordagem
cognitiva envolvendo a perspectiva social, em que se discute sobre os limites categoriais; críticas ao construcionismo em relação
à ideia de que a sua característica principal é o conhecimento construído por interação social e à impossibilidade de atribuir
todo desenvolvimento humano à interação humana, e, por fim, mudança da perspectiva cognitiva para uma mais integrativa,
que requer ênfase na interação entre os contextos cognitivo, social, cultural, organizacional e afetivo, dentre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Allen, D.; Karanasios, S.; Slavova, M. Working with activity theory: context, technology, and information behavior. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 62, n. 4, p. 776-788, 2011.

Alves, E. C. et al. Práticas informacionais: reflexões teóricas e experiências de pesquisa. João Pessoa: Editora UFPB, 2020.

Araújo, C. A. A. Os estudos em práticas informacionais no âmbito da ciência da informação. In: Araújo; C. A. A. et al. (org.). Práticas informacionais: reflexões teóricas e experiências de pesquisa. João Pessoa: Editora UFPB, 2020. v. 1, p. 21-73.

Bawden, D.; Robinson, L. No such thing as society? On the individuality of information behavior. Journal of the Americas Society for Information Science and Technology, v. 64, n. 12, p. 2587-2590, 2013.

Bertalanffy, L. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Vozes, 1973. Borlund, P.; Dreier, S.; Byström, K. What does time spent on searching indicate? In: Information Interaction in Context Symposium, 4., 2012. Proceedings […]. Nijmegen, The Netherlands, August 21-24, 2012.

Castanõn, G. A. Construcionismo social: uma crítica epistemológica. Temas em Psicologia, v. 12, n. 1, p. 67-81, 2004.

Capra, F. O ponto de mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix, 1987.

Coelho, G. B. Ciência, sociedade e complexidade: da disciplinarização do conhecimento à emergência de programas de pós-graduação interdisciplinares no Brasil. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v.14, n. 33, 2017.

Cordeiro, A. M. et al. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, n. 6, p. 428-431, 2007.

Cox, A. M. An exploration of the practice approach and its place in information science. Journal of Information Science, v. 38, n. 2, p. 176-188, 2012.

Freitas Rocha, E. C.; Krempser Gandra, T.; Pereira Rocha, J. A. Práticas informacionais: nova abordagem para os estudos de usuários da informação. Biblios, n. 68, p. 96-109, 2017.

Ellis, D. A behavioural approach to information retrieval design. Journal of Documentation, v. 45, p. 171-212, 1989.

Fisher, K. E.; Julien, H. Information Behavior. Annual Review of Information Science and Technology, v.43, n. 1, p. 1-73, 2009.

Foster, A. A non-linear model of information-seeking behavior. Journal of the American Society of Information Science and Technology, v. 55, n. 3, p. 228-237, 2004.

Gasque, K. C. G. D.; Costa, S. M. S. Evolução teórico-metodológico dos estudos de usuários. Ciência da Informação, v. 39, n. 1, p. 21-32, 2010.

Godbold, N. Beyond information seeking: towards a general model of information behavior. Information Research, v.11, n. 4, 2006. Disponível em: http://InformationR.net/ir/11-4/paper269.html. Acesso em: 20 jan. 2020.

Gonzalez-Teruel, A. Cuatro Tradiciones en la Investigacion del Usuario: user studies, information behaviour, information practice e information experience. AIB Studi v. 58, n. 3, p. 479-489, 2019.

Gustsack, F. et. al. Contribuições para uma Epistemologia da Complexidade. In: Pellanda, N. M. C.; Boettcher, D. M.; Pinto, M. M. (org.). Viver/conhecer na perspectiva da complexidade: experiências de pesquisa. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2017. p. 15-26.

Ingwersen, P.; Järvelin, K. The turn: integration of information seeking and retrieval in context. Dordrecht: Springer, 2005.

Järvelin, K.; Wilson, T. D. On conceptual models for information seeking and retrieval research. Information Research, v. 9, n. 1, 2003. Disponível em: http://InformationR.net/ir/9-1/ paper163.html. Acesso em: 22 jan. 2020.

Kuhlthau, C. C. Seeking meaning: a process approach to library and information services. Norwood, NJ: Ablex, 1993.

Lara, M. L. G. Diferenças conceituais sobre termos e definições e implicações na organização da linguagem documentária. Ciência da Informação, v. 33, n. 2, p. 91-96, 2004.

Lefrançois, G. R. Teorias da aprendizagem: o que o professor disse 6. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2016.

Levitin, D. J. A mente organizada: como pensar com clareza na era da sobrecarga de informação. Rio de Janeiro: Objetiva, 2015.

Liu, J. Toward a unified model of human information behavior: an equilibrium perspective. Journal of Documentation, v. 73, n. 4, p. 666-688, 2017.

Maturana, H. Ontologia da realidade. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 1997.

Moreira, M. A. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 2011.

Pettigrew, K. E.; Fidel, R.; Bruce, H. Conceptual frameworks in information behavior. Annual Review of Information Science and Technology, v. 35, p. 43-78, 2001.

Prigogine, I. O fim das certezas, tempo, caos e as leis da natureza 2. ed. São Paulo: Unesp, 2011.

Prigogine, I.; Stengers, I. A nova aliança: a metamorfose da ciência. Brasília: UnB, 1991.

Rocha, J. A. P.; Gandra, T. K. Práticas informacionais: elementos constituintes. Informação and Informação, v. 23, n. 2, p. 566-595, 2018.

Rosh, E. Principles of categorization. In: Rosh, E.; Lloyd, B. B. (org.). Cognition and categorization. Hillsdale: Lawrence Erlbaum Associates, 1978. p. 27-48.

Ruthven, I.; Kelly, D. Interactive information seeking, behavior and retrieval. London: Facet Publishing, 2011.

Savolainen, R. Information behavior and information practice: reviewing the “umbrella concepts” of information-seeking studies. Library Quarterly, v. 77, n. 2, p. 109-132, 2007.

Savolainen, R. Conceptual growth in integrated models for information behaviour. Journal of Documentation, v. 72, n. 4,p. 648-73, 2016.

Souza-Cruz, T. C. “Entrando pelo youtubo”: estudo discursivo da organização semântico-lexical: em foco a categorização.

Tese. 182 f. (Doutorado em Linguística ) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

Sternberg, R. J.; Sternberg, K. Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas, 2016.

Taleb, N. N. O cisne negro: o impacto do altamente improvável. 9. ed. Alfragide, PT: D. Quixote, 2018.

Toms, E.; Toze, S.; Kelley, E. Integrating the group within models of information processes. Proceedings of the American Society for Information Science and Technology, v. 45, n.1, p. 1-12, 2008.

Vygotsky, L. S. Formaçã o social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Widén, G.; Steinerová, J.; Voisey, P. Conceptual modelling of workplace information practices: a literature review. In: ISIC, the Information Behaviour Conference, Leeds, 2-5 September, 2014. Proceedings […]. Leeds: ISIC, 2014. Part 1.

Wilson, T. D. On user studies and information need. Journal of Documentation, v. 37, n.1, p. 3-15, 1981.

Wilson, T. D. Information behaviour: an interdisciplinary perspective. Information Processing and Management, v. 33, n. 4, p. 551-572, 1997.

Wilson, T. D. Models in information behaviour research. Journal of Documentation, v. 55, n. 3, p. 249-270, 1999.

Wilson, T. D. Human information behavior. Informing Science, v. 3, n. 2, p. 49-55, 2000. Disponível em: http://inform.nu/Articles/Vol3/v3n2p49-56.pdf. Acesso em: 1 abr. 2020.

Wilson, T. D. A general theory of human information behavior. In: The information behaviour conference, 2016, Zadar. Proceedings [...]. Zadar: Information Research, 2016. Part 1.

Publicado

23-09-2022

Como Citar

Gasque, K. C. G. D. (2022). Reflexão sobre os termos comportamento informacional e prática informacional. Transinformação, 34, 1–12. Recuperado de https://periodicos.puc-campinas.edu.br/transinfo/article/view/6875

Edição

Seção

Revisão