Atuação de professores de Educação Física em escolas prisionais: problematizando a formação inicial e continuada

Autores

  • Glauber César Cruz Custódio Rede Estadual de Ensino da Cidade de Ouro preto, MG http://orcid.org/0000-0001-5475-4877
  • Célia Maria Fernandes Nunes Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto http://orcid.org/0000-0002-2338-1876
  • Jairo Antônio da Paixão Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa - PPGE/UFV

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0870v26e2021a5153

Palavras-chave:

Atuação docente. , Escola prisional. , Formação continuada.

Resumo

 Os estudos sobre a prática pedagógica da Educação Física escolar têm sido tema de interesse na área educacional. O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo identificar e analisar a atuação de professores de Educação Física em escolas de unidades prisionais localizadas na Região dos Inconfidentes/MG. Através de uma pesquisa qualitativa, a entrevista semiestruturada foi utilizada para a coleta dos dados. Após a coleta e análise dos dados foi possível identificar que a formação inicial dos professores não os preparou para atuarem na educação prisional. Para minimizar os impactos, esses professores realizam pesquisas e estudos de maneira autônoma e aprendem constantemente em suas práticas diárias, por meio de tentativas, erros e acertos. Em suas ações docentes, lhes são exigidos saberes de outra natureza que não acadêmica, como conhecimentos relacionados à capacidade de comunicação, atenção ao que acontece na sala e flexibilidade em suas ações. Soma-se a isso, conforme relatos dos professores, a inexistência de cursos de formação continuada específicos sobre esse campo de atuação.

Biografia do Autor

Glauber César Cruz Custódio, Rede Estadual de Ensino da Cidade de Ouro preto, MG

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto (2018). Possui Especialização em Educação Inclusiva pela Universidade Cândido Mendes (2017/2017). Especialização em Nutrição Esportiva pelo Centro Universitário Internacional (2016/2017). Especialização em Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Estácio de Sá (2015/2016). Pedagogo pelo Centro Universitário Internacional (2020). Graduado em Educação Física bacharelado pela Universidade Federal de Ouro Preto (2016). Graduado em Educação Física Licenciatura pela Universidade Federal de Ouro Preto (2014). Membro do grupo de Pesquisa sobre Formação e Profissão Docente (FOPROFI/DEEDU/UFOP). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagógicas em Educação Física (GEPPEF). Ex bolsista PROBIC-FAPEMIG de iniciação científica pelo grupo de estudos do Laboratório de Estudos Pedagógicos em Educação Física (LEPEF) no Centro Desportivo da Universidade Federal de Ouro Preto, MG. Professor de Educação Física do ensino fundamental e médio da rede estadual de Minas Gerais.

Célia Maria Fernandes Nunes, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Santa Úrsula (1987), Mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (1995), Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004), Pós Doutorado pela Universidade Federal de Minas Gerais ( 2010) e Universidad Nacional de General Sarmiento. (2018). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Ouro Preto atuando na Graduação e Pós- Graduação. E vice Lider do Grupo de Pesquisa sobre Formação e Profissão Docente (FOPROFI/DEEDU/UFOP), membro do Grupo de Pesquisas sobre Condição e Formação Docente (PRODOC /FAE/UFMG), membro da Red Docente de América Latina y el Caribe (KIPUS) e Rede Latinoamericana de Estudos Sobre Trabalho Docente (Rede ESTRADO) . Tem experiência na área de Educação desenvolvendo tanto atividades administrativas no ensino superior como atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas e temas: formação inicial e continuada de professores , profissão docente, saberes docentes, prática pedagógica, educação de jovens e adultos , avaliação, política e gestão educacional.

Jairo Antônio da Paixão, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa - PPGE/UFV

Pós-doutorado pela Universidade Federal de Viçosa (2012). Doutorado em Educação pela Ibero-Amercican University (2018). Doutorado em Ciência do Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2010). Mestrado em Educação pela Ibero-American University (2018). Mestrado em Educação pela Universidade do Oeste Paulista (2005). Especialização em Educação pela Universidade Federal de Viçosa (2005). Especialização em Orientação Educacional pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá (2002). Especialização em Pedagogia do Esporte pelas Faculdades Integradas AVM de Brasília (2014). Graduação em Pedagogia (Licenciatura) pela Universidade Federal de Viçosa (2002). Graduação em Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Viçosa (1997). Atualmente é professor da Universidade Federal de Viçosa, MG. Professor do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa na linha de pesquisa Educação pública: sujeitos e práticas. Integra o Comitê de Ética em Pesquisas com Humanos da UFV. Coordena o Curso de Licenciatura em Educação Física. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagógicas em Educação Física (GEPPEF) no Curso de Licenciatura em Educação Física no Departamento de Educação Física na Universidade Federal de Viçosa, MG. Coordena o Programa Residencia Pedagógica - Educação Física, Campus Viçosa, MG.

Referências

Almeida, C. V. A. A professora nos entremuros do cárcere. 2014. 234f. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2014.

Amorim, K. L. Educar em prisões: um estudo na perspectiva das Representações Sociais. 2016. 194 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

Bardin, L. Análise de conteúdo. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro (Trad.). 5. ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

Borges, C. A formação dos docentes de educação física. In: BORGES, C.; DESBIENS, J. F. (Orgs.). Saber, formar e intervir para uma educação física em mudança. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 157-190.

Brasil. Presidência da República. Lei de Execução Penal, nº 7.210. Brasília, 1984. Institui a Lei de Execução Penal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jul. 1984, Seção 1, p. 10227- 10234.

Brasil. Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, CNPCP. Resolução nº 3, de 11 de março de 2009. Dispõe sobre as diretrizes nacionais para a oferta de educação nos estabelecimentos penais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 mar. 2009, Seção 1, p. 22-23.

Brasil. Lei n. 9.394 de 20 de novembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996, Seção 1, p. 27833-27841.

Brasil. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Promulga a Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988, Seção 1, p. 1-27.

Brasil. Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica. Resolução nº 2, de 19 de maio de 2010. Dispõe sobre as diretrizes nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 mai. 2010, Seção 1, p. 20-21.

Brasil. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Brasília: Departamento Penitenciário Nacional, 2020.

Crecci, V. M.; Fiorentini, D. Gestão do Currículo de Matemática sob Diferentes Profissionalidades. Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, v. 28, n. 49, p. 601-620, 2014.

Fiorentini, D.; et. al. Formação de professores que ensinam matemática: um balanço de 25 anos da pesquisa brasileira. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 36, p. 137-160, 2002.

Garcia, V. C. V. Fundamentação teórica para as perguntas primárias: O que é matemática? Por que ensinar? Como se ensina e como se aprende?. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 2, p. 176-184, 2009.

Ghilardi, R. Formação profissional em educação física: a relação teoria e prática. Motriz, Rio Claro, v. 4, n. 1, p. 1-11, 1998.

Goi, M. E. J. Formação de professores para o desenvolvimento da metodologia de resolução de problemas na educação básica. 2014. 267 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

Gonçalves, J. A. M. A carreira das professoras do ensino primário. In: NÓVOA, A. (Org.) Vidas de professores. Portugal: Porto Editora, 2007. p.141- 169.

Gonçalves, J. A. M. Desenvolvimento profissional e carreira docente: Fases da carreira, currículo e supervisão. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, Lisboa, v. 8, p. 23-36, 2009.

Julião, E. F. Escola na ou da prisão?. Caderno Cedes, Campinas, v. 36, n. 98, p. 25-42, jan.-abr., 2016.

Julião, E. F. O impacto da educação e do trabalho como programas de reinserção social na política de execução penal do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: v. 15, n. 45, p. 529-543, 2010.

Kulcsar, R. O estágio supervisionado como atividade integradora. In: PICONEZ, S. C. B.. A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. 24. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. p. 57-67.

Laffin, M. H. L. F.; Nakayama, A. R. O Trabalho de Professores/as em Um Espaço de Privação de Liberdade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 155-178, jan./mar., 2013.

Libâneo, J. C. P. Pedagogia e Pedagogos, para Quê? 8ª Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

Lopes, K. C. B. Direito e Desafios: a educação no ambiente prisional. 2013. 254 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade da Região de Joinville, Joinville, 2013.

Marcelo-García, C. Desenvolvimento Profissional: passado e futuro. Sísifo - Revista das Ciências da Educação, Lisboa, n. 08, p. 7-22, jan./abr. 2009.

Marconi, M. A.; Lakatos; E. M. Técnicas de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

Massa, M. Caracterização acadêmica e profissional da Educação Física. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 29-38, 2002.

Menotti, C. C. O exercício da docência entre as grades: reflexões sobre a prática de educadores do sistema prisional do estado de São Paulo. 2013 129f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

Minayo, M. C. S. (Org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 30. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

Miranda, J. M. C. Educação de jovens e adultos: escola no cárcere e ressocialização de mulheres cearenses no regime semiaberto. 2016. 203f. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

Monteiro, A. M. F. C. Professores: entre saberes e práticas. Educação e Sociedade, Campinas, v.22, n.74, p. 121-142, 2001.

Nóvoa, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA. A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote; 1997. p. 13-33.

Nóvoa, A. O regresso dos professores. Livro da conferência Desenvolvimento Profissional de Professores para a Qualidade e para a Equidade da Aprendizagem ao longo da Vida. Lisboa: Ministério de Educação, 2008.

Oliveira, L. S. S.; Araújo, E. L. A educação escolar nas prisões: um olhar a partir dos direitos humanos. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 7, n. 1, p. 177-191, 2013.

Onofre, E. M. C. Políticas de formação de educadores para os espaços de restrição e de privação de liberdade. Revista Eletrônica de Educação, v. 7, n. 1, p. 137-158, 2013.

Pesce, M. K; André, M. E. D. A. Formação do professor pesquisador na perspectiva do professor formador. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 39-50, 2012.

Pio, R. M.; França, D. L.; Domingues, S. C. A Importância da Pesquisa Na Prática Pedagógica dos Professores. Revista Educare, João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 101-115, 2017.

Salvalaggio, L. R. Organização do trabalho pedagógico na educação prisional. 2016. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Tuiuti Do Paraná, Curitiba, 2016.

Scalabrin, I. C.; Molinari, A. M. C. A importância da prática do estágio supervisionado nas licenciaturas. Revista UNAR, Araras, v.7, n.1, p. 1-12, 2013.

Souza, M. C. R. F. et. al. Gênero e currículo: olhares sobre a educação em espaços de privação de liberdade. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 7, n. 1, p. 159-176, 2013.

Souza, M. N. A. J. Entre grades e trancas: o currículo da educação de jovens e adultos no conjunto penal de Eunápolis-BA. 2015. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação de Jovens e Adultos) - Universidade do Estado Da Bahia, Salvador, 2015.

Tardif, M. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

Tardif, M.; Raymond, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 21, n. 73, p. 209-244, dez. 2000.

Vieira, N. G. A educação de jovens e adultos em privação de liberdade: um estudo da unidade prisional de Goianésia-GO. 2016. 221 f. Dissertação (Mestrado em educação, linguagem e tecnologias) - Universidade Estadual De Goiás, Anápolis, 2016.

Downloads

Publicado

05-10-2021