O letramento da criança brasiguaia na escola brasileira de fronteira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0870v26e2021a4927

Palavras-chave:

Alfabetismo. Alunos brasiguaios. Esferas de letramento. Multilinguismo.

Resumo

O presente artigo tem como tema central o letramento de crianças brasiguaias na fronteira Brasil – Paraguai, nas cidades fronteiriças Ponta Porã (Brasil) e Pedro Juan Caballero (Paraguai). O objetivo é compreender a vivência das crianças brasiguaias em relação às línguas portuguesa, guarani e espanhola nas diferentes esferas de letramento de seu convívio, identificando que língua utilizam para se comunicar de forma oral ou escrita. O estudo desenvolveu-se por meio de uma pesquisa de abordagem qualitativa, do tipo descritiva. Os participantes foram sete estudantes brasiguaios que moram no Paraguai e estudam no Brasil e um aluno que possui residência nos dois países, todos estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental I em uma escola municipal de Ponta Porã (MS). A técnica utilizada para obtenção dos dados foi a entrevista semiestruturada, e os aportes teóricos foram os Novos Estudos do Letramento. Os resultados indicam que as crianças conseguem conviver muito bem em praticamente todas as esferas de letramento com o português, com o espanhol e com o guarani. Elas demonstram desenvoltura e transitam com magnitude entre as diferentes esferas, com funções distintas nessas três línguas. A exceção é o âmbito escolar, o qual se mostra como um grande desafio, porque, nos momentos oficiais do uso da língua, as crianças se restringem ao português, utilizando o guarani e o espanhol apenas informalmente.

Biografia do Autor

Kalyne Franco Cunha, Universidade Federal da Grande Dourados, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação

Formada em Pedagogia pelas Faculdades Magsul (FAMAG/Ponta Porã-MS - 2014), especializou-se em Educação para a Infância: Educação Infantil e Anos Iniciais (ESAP/UNIVALE - 2014). Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD - 2020), faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil e Infância (GEINFAN) do diretório do CNPq. É professora de Educação Musical na Escola Magsul Júnior de Educação Infantil e ministra aulas no curso de Pedagogia das Faculdades Magsul (FAMAG/ Ponta Porã - MS). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, diversidade, multiculturalidade e música.

Thaise da Silva, Universidade Federal da Grande Dourados, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação

Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Grande Dourados - Mato Grosso do Sul (UFGD) e professora adjunta da área de Currículo e Alfabetização (UFGD). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil e Infância (GEINFAN) do diretório do CNPq. Tem graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS - 2000), especialização em Alfabetização pela Faculdade Porto-Alegrense (FAPA - 2004), mestrado em Educação pela UFRGS (2008) e doutorado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da mesma instituição (2012).

Referências

Albuquerque, J. L. C. A dinâmica das fronteiras: os brasiguaios na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. São Paulo: Annablume, 2010.

Anjos, A. L. A. Entre os muros da escola: experiências linguísticas bilíngues em uma escola pública em Ponta Porã/MS. 2011. 120 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2011.

Antunes, I. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2003.

Barbosa, J. M. Olhares investigativos sobre a fronteira internacional de Aral Moreira/Brasil com departamento Santa Virginia/Paraguai: um estudo de caso etnográfico. 2015. 141 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2015.

Berger, I. R. Gestão do multi/plurilinguismo em escolas brasileiras na Fronteira Brasil-Paraguai: um olhar a partir do observatório da educação na Fronteira. 2015. 298 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

Cagliari, L. C. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 2006.

Coelho, S.; Castro, M. O processo de letramento na educação infantil. Pedagogia em Ação, v. 2, n. 2, p. 79-85, 2010. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/pedagogiacao/article/view/4848. Acesso em: 22 ago. 2020.

Cook-Gumperz, J. A construção social da alfabetização. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

Dalinghaus, I. V. Alunos brasiguaios em escola de fronteira Brasil/Paraguai: um estudo linguístico sobre aprendizagem do português em Ponta Porã, MS. 2009. 182 f. Dissertação (Mestrado em Letras, Linguagem e Sociedade) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2009.

Gil, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

Godoy, M. E. C. Ser criança em uma escola pública do lado brasileiro da fronteira Brasil/Paraguai: dos feixes atando pontes. 2015. 220 f. Dissertação (Mestrado em Sociedade, Cultura e Fronteiras) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2015.

Graff, H. J. Os labirintos da alfabetização: reflexões sobre o passado e o presente da alfabetização. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

Kleiman, A. B. (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 1995. (Coleção Letramento, Educação e Sociedade).

Kleiman, A. B. Letramento e suas implicações para o ensino da língua materna. Signo, v. 32, n. 53, p. 1-25, 2007. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/viewFile/242/196. Acesso em: 19 mar. 2020.

Marcuschi, L. A. Da fala para a escrita: atividade de retextualização. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

Matêncio, M. L. M. Analfabetismo na mídia: conceitos e imagens sobre o letramento. In: Kleiman, A. (org.). Os significados do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 1995. p. 239-266.

Minayo, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Deslandes, S. F. et al. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 9-29.

Oliveira, J. A. B. Representações do sujeito-aluno da fronteira Brasil - Paraguai em documentos oficiais do Programa Escolas Interculturais de Fronteira (PEIF). 2015. 167 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2015.

Pereira, J. H. V. A especificidade de formação de professores em Mato Grosso do Sul: limites e desafios no contexto da fronteira internacional. Inter Meios, v. 15, n. 29, p. 106-119, 2009.

Pereira, J. H. V. Educação na fronteira: o caso Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (PY). Papéis: Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos e Linguagens, v. 18, n. 36, p. 93-106, 2014.

Peres, E. P. Contato entre línguas: subsídios linguísticos para o ensino de Língua Portuguesa para Bilíngues em português e espanhol. 1999. 155 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1999.

Ribeiro, V. M. Por mais e melhores leitores: uma introdução. In: Ribeiro, V. M. (org.). Letramento no Brasil: reflexões a partir do INAF 2001. São Paulo: Global, 2004. p. 9-32.

Ribeiro, A. E.; Coscarelli, C. V. Letramento digital. In: Frade, I. C. A. S.; Val, M. G. C.; Bregunci, M. G. C. (org.). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG, 2014. p. 181-182.

Sanches, R. A. S. Fotografias sociolinguísticas sob a ótica das atitudes linguísticas na região de fronteira: Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. 2006. 180 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2006.

Santos, M. E. P. Fatores de risco para o sucesso escolar de crianças brasiguaias nas escolas de Foz do Iguaçu: uma abordagem sociolingüística. 1999. 112 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1999.

Silva, N. B. P. R. Escola de fronteira: proposta para alfabetização de alunos residentes na Bolívia que estudam na escola CAIC, em Corumbá-MS. 2016. Dissertação (Mestrado Profissional em Estudos Fronteiriços) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Corumbá, 2016.

Soares, M. Alfabetização e letramento. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

Soares, M. Letramento e escolarização. In: Ribeiro, V. M. Letramento no Brasil: reflexões a partir do INAF 2001. São Paulo: Global, 2004. p. 89-113.

Street, B. Lyteracy in theory and practice. Cambridge: Camdridge University Press, 1984.

Street, B. Social literacies: critical approaches to literacy in development, ethnography and education. London: Longman, 1995.

Street, B. What’s “new” in new literacy studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. Current Issues in Comparative Education, v. 5, n. 2, p. 72-91, 2003.

Teis, D. T. A (Re)construção da Identidade do aluno brasiguaio. 2004. 162 f. Dissertação (Mestrado em Letras, Linguagem e Sociedade) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2004.

Teixeira, E. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

Terzi, S. B. A oralidade e a construção da leitura por crianças de meios iletrados. In: Kleiman, Â. B. (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995. p. 91-117.

Travaglia, L. C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

Zambrano, C. E. G. O bilinguismo no entre lugar de crianças “brasileiras venezuelanas” na fronteira. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Roraima, Boa Vista. 2016.

Downloads

Publicado

19-05-2021