Notas sobre o tempo (na e a partir da imagem)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2595-9557v4e2021a5002

Palavras-chave:

Corpo, Experiência subjetiva, Impressão, Materialidade, Temporal.

Resumo

Este texto procura propor uma compreensão do tempo indissociável da experiência sensível e subjetiva que temos da matéria. Partindo de uma reflexão pessoal acerca dos condicionamentos e incertezas causados pela pandemia de Coronavirus Disease 2019, desenvolvo uma série de
correspondências entre a imagem impressa e a imagem cinematográfica, onde a vulnerabilidade do corpo surge como tema agregador. As impressões empilhadas de Félix González-Torres e o filme Jeanne Dielman, da realizadora Chantal Akerman, são referências centrais. Este texto insere-se, assim, num discurso contemporâneo mais amplo relacionado ao fascínio exercido pela dimensão temporal das imagens.

Biografia do Autor

Joana Maria Pereira, Royal College of Art

Royal College of Art, Faculty of Arts & Humanities

Referências

Barthes, R. A Câmara clara. Lisboa: Edições 70, 2006.

Bellour, R. Between-the-Images. Zurich: JRP|Ringier Press, 2012.

Marker, C. A grin without a cat. London: Whitechapel Gallery, 2014.

Deleuze, G. A Imagem-tempo: cinema 2. São Paulo: Brasiliense, 2005.

Irigaray, L. Thinking the difference: for a peaceful revolution. London: The

Athlone Press, 1994.

Mavor, C. Reading boyishly: Roland Barthes, J.M. Barrie, Jacques Henri Lartigue, Marcel Proust, and D.W. Winnicott. Durham: Duke University

Press, 2007.

Downloads

Publicado

10-06-2021

Edição

Seção

Ensaio Textual