Padrões espaciais de abundância de populações: uma revisão de predições e modelos teóricos em ecologia e biogeografia

Autores

  • Rosana Talita Braga Universidade Federal de Goiás

Resumo

Ao longo da história da ecologia, predições e modelos teóricos sobre mecanismos estruturadores dos padrões demográficos populacionais se intensificaram. Inicialmente, os modelos descreviam a trajetória de populações considerando unicamente parâmetros demográficos locais. Modelos posteriores demonstraram que a configuração do espaço e as taxas de dispersão são fatores determinantes para compreender padrões de distribuição e abundância. Consequentemente, modelos espacialmente explícitos vêm sendo desenvolvidos e aprimorados, sendo eles analíticos ou simulações computacionais. Como as espécies não se dispersam infinitamente, estudos tentaram desenvolver predições sobre o que determina o limite de distribuição geográfica e quais padrões de distribuição de abundância são esperados ao longo da distribuição geográficade uma espécie. Testes empíricos podem aprimorar a compreensão da dinâmica populacional (temporal e espacial) e validar as predições a respeito da distribuição geográficadas espécies.


Palavras-chave: Abundância central. Genética populacional. Limite de range. Modelos espacialmente explícitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-04-04

Como Citar

Braga, R. T. (2017). Padrões espaciais de abundância de populações: uma revisão de predições e modelos teóricos em ecologia e biogeografia. Bioikos - Título não-Corrente, 30(1). Recuperado de https://periodicos.puc-campinas.edu.br/bioikos/article/view/3576

Edição

Seção

Artigos - Ecologia e Meio Ambiente