Perspectivas inclusivas do bebê hidrocéfalo na educação infantil

Rogério Drago

Resumo


Este estudo tem como objetivo entender como se dá a inclusão do bebê com deficiência na educação infantil a partir das relações estabelecidas entre adulto-criança e criança-criança. É um estudo qualitativo baseado na perspectiva da pesquisa exploratória, envolvendo entrevistas com profissionais de dois centros de educação infantil pertencentes ao sistema municipal de ensino de Vitória (ES) e observação de salas de educação infantil com bebês portadores de deficiência. Os dados mostram que a educação infantil ainda é entendida como espaço para cuidado, sem o caráter dialético que envolve o educar e o cuidar. Essa característica muda de espaço para espaço, dependendo das concepções dos profissionais da educação infantil, acerca da criança, infância e inclusão. As entrevistas mostram uma ambiguidade em relação às duas realidades observadas, onde uma assume a característica inclusiva e a outra que a escola comum não está preparada para receber crianças que requeiram cuidados e educação especial.


Palavras-chave


Educação infantil. Inclusão escolar. Infância.

Texto completo:

PDF

Referências


AINSCOW, M. Tornar a educação inclusiva: como essa tarefa deve ser conceituada? In: FÁVERO, O. et al. (Org.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: Unesco, 2009.

ARIÉS, P. História social da criança e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

BAPTISTA, C.R.; CAIADO, K.R.M.; JESUS, D.M. Educação especial: diálogo e pluralidade. Porto Alegre: Mediação, 2008.

BASÍLIO, L.C.; KRAMER, S. Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2003.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas II: rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 2000.

BEYER, H.O. Da integração escolar à educação inclusiva: implicações pedagógicas. In: BAPTISTA, C.R. (Org.). Inclusão e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre: Mediação, 2006.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. LDBEN, nº 9.394. Brasília: Câmara Federal, 1996.

BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC, 1998.

DEL PRIORE, M. (Org.). História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1992.

DRAGO, R. Infância, educação infantil e inclusão. Vitória: Aquarius, 2007.

DRAGO, R. Infância e inclusão no cotidiano de um centro de educação infantil. Cadernos de Pesquisa em Educação PPGE-UFES, v.14, n.27, p.157-178, 2008.

DRAGO, R.; MICARELLO, H.A.L.S. Concepções de infância e educação infantil: um universo a conhecer. In: KRAMER, S. (Org.). Profissionais de educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

ESQUINSANI, R.S.S. Quem educa nossos bebês? Política de recursos humanos para turmas de berçário. Educação e Contemporaneidade, v.18, n.31, p.155-162, 2009.

FÁVERO, O. et al. (Org.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: Unesco, 2009.

FERREIRA, M.E.C.; GUIMARÃES, M. Educação inclusiva. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

FERREIRA, W.B. Entendendo a discriminação contra estudantes com deficiência na escola. In: FÁVERO, O. et al. (Org.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: Unesco, 2009.

FREITAS, M.T.A. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n.116, p.21-40, 2002.

GARCIA, R.L. (Org.). Crianças: essas conhecidas tão desconhecidas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

HEYWOOD, C. Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.

JESUS, D.M. et al. Pesquisa e educação especial: mapeando produções. Vitória: EDUFES, 2006.

ESUS, D.M. et al. Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007.

JOBIM e SOUZA, S. Dialogismo e alteridade na utilização da imagem técnica em pesquisa acadêmica: questões éticas e metodológicas. In:

FREITAS, M.T.A.; JOBIM e SOUZA, S.; KRAMER, S. (Org.). Ciências humanas e pesquisa: leituras de Mikhail Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2003.

KRAMER, S. (Org.). Profissionais de educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

KRAMER, S. (Org.). Retratos de um desafio: crianças e adultos na educação infantil. São Paulo: Ática, 2009.

MAZZOTTA, M.J.S. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

MÜLLER, F.; REDIN, M.M. Sobre as crianças, a infância e as práticas escolares. In: REDIN, E.; MÜLLER, F.; REDIN, M.M. (Org.). Infâncias: cidades e escolas amigas das crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007.

PADILHA, A.M.L. Práticas pedagógicas na educação especial: a capacidade de significar o mundo e a inserção cultural do deficiente mental. São Paulo: Autores Associados, 2001.

PALHARES, M.S.; MARINS, S. Escola inclusiva. São Carlos: EdUFSCar, 2002.

PINTO, M.; SARMENTO, M.J. (Coord.). As crianças: contextos e identidades. Braga, Portugal: Universidade do Minho, 1997.

PRIETO, R.G. Atendimento escolar de alunos com necessidades educativas especiais: um olhar sobre as políticas públicas de educação no Brasil. In: ARANTES, V.A. (Org.). Inclusão escolar. São Paulo: Summus, 2006.

RIZZINI, I. O século perdido: raízes históricas das políticas públicas para a infância no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Universitária Santa Úrsula, 1997.

SARMENTO, M.J.; FERNANDES, N.; TOMÁS, C. Participação social e cidadania ativa das crianças. In: RODRIGUES, D. (Org.). Inclusão e educação: dez olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

SARMENTO, M.; GOUVEA, M.C.S. (Org.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis: Vozes, 2008.

SZYMANSKI, H. (Org.). A entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. 2. ed. Brasília: Líber Livro, 2008.

VASCONCELLOS, V.M.R.; SARMENTO, M.J. Infância (in)visível. Araraquara: Junqueira & Marim, 2007.

VICTOR, S. Sobre inclusão, formação de professores e alunos com necessidades educacionais especiais no contexto da educação infantil. In:

BAPTISTA, C.R.; JESUS, D.M. (Org.). Conhecimento e margens: ação pedagógica e pesquisa em educação especial. Porto Alegre: Mediação, 2009.

VYGOTSKY, L.S. Obras escogidas. Madri: Visor, 1996. Tomo IV.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v0n29a54

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.