Bullying na adolescência: causas e comportamentos de alunos portugueses e brasileiros | Bullying in adolescence: Causes and behaviors of Portuguese and Brazilian students

Maria Teresa Ceron Trevisol, Beatriz Pereira, Patrícia Mattana

Resumo


O artigo objetiva analisar razões promotoras do bullying, bem como a maneira como alunos portugueses e brasileiros se posicionam diante do problema e como eles avaliam os encaminhamentos tomados pela escola. A base empírica é uma investigação, de cunho exploratório e de natureza quantiqualitativa, tendo uma amostra aleatória de 235 alunos, matriculados nos anos finais do Ensino Fundamental (7º, 8º e 9º anos), na faixa etária de 13 a 16 anos, procedentes de duas escolas públicas, uma do Brasil, da região oeste catarinense e outra de Portugal, da região Norte, do Minho. Como procedimento de coleta de dados utilizou-se um questionário. As respostas das questões fechadas foram tabuladas com a utilização de uma ferramenta online (Google Docs), enquanto as respostas à única questão aberta foram submetidas a análise do conteúdo. Quanto às razões que promovem o bullying, houve convergência entre as respostas das amostras, tendo prevalecido a menção a variáveis intrapessoais. Sobre o posicionamento em relação ao bullying, a resposta mais indicada pelos alunos brasileiros foi de que se afastam e não se envolvem com o que está acontecendo, enquanto a amostra portuguesa indicou pedir aos agressores que parem com esse tipo de comportamento. Tais atitudes revelam maior empatia e solidariedade por parte da amostra portuguesa, e, também, podem indicar que os alunos da amostra brasileira temem ser as próximas vítimas. O bullying é um problema sério que demanda encaminhamento daqueles que fazem parte do meio escolar e familiar dos educandos.


Palavras-chave


Adolescente. Bullying. Ensino Fundamental. Violência.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, A.; Lisboa, C.; Caurcel, M.J. ¿Por qué ocurren los malos tratos entre iguales¿ explicaciones causales de adolescentes portugueses y brasileños. Revista Interamericana de Psicologia, v.41, n.2, p.107-118, 2007.

Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e à Adolescência. O que é Bullying. Construir Notícias, v.7, n.40, 2008.

Bandeira, C.M.; Hutz, C.S. As implicações do bullying na auto-estima de adolescentes. Revista Psicologia Escolar e Educacional, v.14, n.1, 2010.

Barros, P.C.; Carvalho, J.E.; Pereira, B.O. Um estudo sobre o bullying no contexto escolar. In: Congresso Nacional de Educação – Educere, 8.; Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia, 3., 2009, Curitiba. Anais... Curitiba: PUC, 2009. p.5738-5757.

Bee, H. O ciclo vital. Porto Alegre: Artmed, 1997.

Bock, A.M.B. A perspectiva sócio-histórica de Leontiev e a crítica à naturalização da formação do ser humano: a adolescência em questão. Caderno CEDES, v.24, n.62, p.26-43, 2004. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2018.

Borsa, J.C.; Petrucci, G.W.; Koller, S.H. A participação dos pais nas pesquisas sobre o bullying escolar. Revista Psicologia Escolar e Educacional, v.19, n.1, p.41-48, 2015.

Brino, R.F.; Lima, M.H.C.G. Compreendendo estudantes vítimas de bullying: para quem eles revelam? Psicologia da Educação, n.40, p.27-39, 2015. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2017.

Bronfenbrenner, U. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Porto Alegre: Artmed, 2011.

Córdoba, F. et al. R. Valoración del alumnado de primaria sobre convivencia escolar: el valor de la red de iguales. Psicoperspectivas, v.16, n.2, p.79-90, 2016.

Cunha, A.C.R. Bullying: um estudo exploratório das práticas parentais e das atitudes relativas à diversidade de género e etnia na compreensão do fenómeno. 2014. 63f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade do Minho, Braga, 2014. Disponível em: . Acesso em: 7 dez. 2017.

Del Prette, Z.A.P.; Del Prette, A. Psicologia das habilidades sociais. Petrópolis: Vozes, 1999.

Erikson, E.H. Identidade: juventude e crise. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

Fante, C. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. 2.ed. Campinas: Verus, 2005.

Fante, C.; Pedra, J.A. Bullying escolar: perguntas e respostas. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Ferraz, S.; Pereira, B. Comportamentos de bullying: estudo numa escola técnico profissional. In: Condessa, I.; Pereira, B.; Carvalho, C. (Coord.). Atividade física, saúde e lazer: educar e formar. Braga: Universidade do Minho, 2012. p.93-99.

Fischer, R.M. Bullying escolar no Brasil: relatório final. São Paulo: CEATS, 2010. Disponível em: . Acesso em: 7 mar. 2017.

Freire, A.N.; Aires, J.S. A contribuição da psicologia escolar na prevenção e no enfrentamento do bullying. Revista Psicologia Escolar e Educacional, v.16, n.1, p.55-60, 2012.

Gómez, A. Bullying: el poder de la violencia: una perspectiva cualitativa sobre acosadores y víctimas en escuelas primarias de Colima. Revista Mexicana de Investigación Educativa, v.18, n.58, p.839-870, 2013.

Jares, X. Conflicto y convivencia en los centros educativos de secundaria. Revista de Educación, n.339, p.467-491, 2006.

La Taille, Y. A importância da generosidade no início da gênese da moralidade na criança. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.19, n.1, p.9-17, 2006. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2017.

Lisboa, C.; Braga, L.L.; Ebert, G. O fenômeno bullying ou vitimização entre pares na atualidade: definições, formas de manifestação e possibilidades de intervenção. Contextos Clínicos, v.2, n.1, p.59-71, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2018.

Lopes Neto, A.A. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria, v.81, n.5, p.S164-S172, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2017.

Lopes Neto, A.A.; Filho, L.M.; Saavedra, L.H. Programa de redução do comportamento agressivo entre estudantes. 2013. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2017.

Marriel, L.C. et al. Violência escolar e auto-estima de adolescentes. Cadernos de Pesquisa, v.36, n.127, p.35-50, 2006. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2017.

Nascimento, A.M.T. Intimidações na adolescência: expressões da violência entre pares na cultura escolar. 2009. 203f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.

Nascimento, A.M.T.; Menezes, J.A. Intimidações na adolescência: expressões da violência entre pares na cultura escolar. Psicologia e Sociedade, v.25, n.1, p.142-151, 2013. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2017.

Olweus, D. Bullying in schools: What we know and what we can do. Oxford: Blackwell, 1993.

Olweus, D. School bullying: Development and some important challenges. Annual Review of Clinical Psychology, v.9, n.1, p.751-780, 2013.

Pacheco-Salazar, B. Violencia escolar: la perspectiva de estudiantes y docentes. Revista Electrónica de Investigación Educativa, v.20, n.1, p.112-121, 2018.

Pereira, B.O. Para uma escola sem violência: estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças. 2.ed. Coimbra: Ministério da Ciência e da Tecnologia, 2008.

Pereira, B.; Silva, M.I.; Nunes, B. Descrever o bullying na escola: estudo de um agrupamento de escolas no interior de Portugal. Revista Diálogo Educacional, v.9, n.28, p.455-466, 2009.

Rolim, M. Bullying: o pesadelo da escola, um estudo de caso e notas sobre o que fazer. 2008. 174f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008. Disponivel em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/14951/000672845.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em: 25 nov. 2013.

Rolim, M. Bullying: o pesadelo da escola. Porto Alegre: Dom Quixote, 2010.

Saraiva, A.B.; Pereira, B.; Zamith-Cruz, J. School dropout, problem behaviour and poor academic achievement: a longitudinal view of Portuguese male offenders. Emotional and Behavioural Difficulties, v.16, n.4, p.419-436, 2011. Special issue: Longitudinal Research on Emotional and Behavioural Difficulties.

Sánchez, V., Ortega, R.; Menesini, E. La competencia emocional de agresores y víctimas de bullying. Anales de Psicología, v.28, n.1, 2012.

Saneleuteiro, E.; López-García-Torres, R. Violencia escolar: derechos y deberes para la convivencia. Tendências Pedagógicas, n.30, 2017.

Senra, L.X.; Lourenço, L.M.; Pereira, B.O. Características da relação entre violência doméstica e bullying: revisão sistemática da literatura. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v.4, n.3, p.297-309, 2011.

Silva, E.N.; Rosa, E.C.S. Professores sabem o que é bullying?: um tema para a formação docente. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v.17, n.2, p.329-338, 2013.

Silva, J.L. et al. Estudo exploratório sobre as concepções e estratégias de intervenção de professores em face do bullying escolar. Psicologia: Teoria e Prática, v.17, n.3, p.189-199, 2015. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2017.

Smith, P.K.; Sharp, S. School bullying: Insights and perspectives. London: Routledge, 1994.

Steinberg, L. et al. Over-time changes in adjustment and competence among adolescents from authoritative, authoritarian, indulgent and neglectful families. Child Development, v.65, n.3, p.754-770, 1994.

Stelko-Pereira, A.C.; Dittrich, A. O conceito de prevenção na análise do comportamento: Em busca de práticas preventivas de maior sucesso. In: Roosevelt, R.S. (Ed.). Sobre comportamento e cognição: temas aplicados. Santo André: ESETec, 2007. p.231-243.

Tognetta, L.R.P. Violência na escola x violência da escola. In: Congresso Nacional de Educação da PUCPR, 8., 2009; Congresso Ibero–Americano sobre Violências nas Escolas, 3., 2009, Curitiba. Anais... Curitiba: PUC, 2009.

Tognetta, L.R.P.; Vinha, T.P. Até quando? bullying na escola que prega a inclusão social. Educação, v.35, n.3, p.449-464, 2010.

Tognetta, L.R.P.; Vinha, T.P. Estamos em conflito: eu, comigo e com você! Uma reflexão sobre o bullying e suas causas afetivas. In: Cunha, J.L.; Dani, L.S.C. Escola, conflitos e violências. Santa Maria: UFSM, [2007?]. p.1-37.

Torrego, J.C. Desde la mediación de conflictos en centros escolares hacia el modelo integrado de mejora de la convivencia. In: Torrego, J.C. (Coord.), Modelo integrado de mejora de la convivencia: etrategias de mediación y tratamiento de conflictos. Barcelona: Graó, 2006. p.11-26.

Trevisol, M.T.C.; Campos, C.A. Bullying: verificando a compreensão dos professores sobre o fenômeno no ambiente escolar. Psicologia Escolar e Educacional, v.20, n.2, p.275-284, 2016.

Viguer, P.; Solé, N. Escuela e iguales como contextos de socialización en valores y convivencia: una investigación participativa a través de un debate familiar. Cultura y Educación, v.24, n.4, p.475-487, 2012.

Vigotski, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. 2.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

Vygotsky, L.S. Desarrollo de los intereses en la edad de transición. Dinámica y estructura de la personalidad del adolescente. In: Vygotsky, L.S. Obras Escogidas IV: Psicología infantil (Incluye Paidología del adolescente. Problemas de la psicología infantil). Madrid: Visor Dis, 1996. p.11-46.

Zaine, I.; Reis, M.J.D.; Padovani, R.C. Comportamentos de bullying e conflito com a lei. Estudos de Psicologia, v.27, n.3, p.375-382, 2010. Disponível em: . Acesso: 31 mar. 2017.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v24n1a4238

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.