Professores iniciantes dos cursos de licenciatura: corrosão ou constituição de novas profissionalidades?

Laurizete Ferragut Passos, Lisandra Marisa Princepe, Nayana Cristina Gomes Teles, Rodnei Pereira

Resumo


investigação aqui relatada está centrada na perspectiva de que a presença de um corpo docente
renovado vem atuando nos cursos de formação de professores e exigindo um olhar mais apurado
para as condições de ingresso e de trabalho, bem como para as práticas e para o apoio institucional
como fatores fundantes da profissionalidade de professores iniciantes. O foco do estudo está direcionado
para a relação entre as condições de trabalho e a constituição da profissionalidade desses formadores
de professores que iniciam sua carreira no ensino superior. Pretende-se, assim, identificar os possíveis
fatores de corrosão e/ou de constituição de novas profissionalidades de professores formadores que
atuam em diferentes cursos de licenciatura de instituições públicas e privadas. Os dados foram coletados
junto a seis professores dessas instituições por meio de entrevistas. Foram identificados fatores de
corrosão da profissionalidade, como a intensificação, precarização e individualização do trabalho, ao
lado de fatores constitutivos da profissionalidade, assentados no compromisso ético, social e cultural
e, especificamente, na busca pela aprendizagem da docência a partir dos conflitos e contradições da
sala de aula.

Palavras-chave: Condições do trabalho docente. Curso de licenciatura. Formador de docentes. Profissionalização docente.


Palavras-chave


Condições do trabalho docente; Curso de licenciatura; Formador de docentes; Profissionalização docente

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, L. et al. Democratização do acesso e do sucesso no ensino superior: uma reflexão a partir das realidades de Portugal e do Brasil. Avaliação, v.17, n.3, p.899-920, 2012.http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772012000300014>

André, M. et al. Relatório final de pesquisa: o trabalho docente do professor formador. São Paulo: CNPq, 2012.

André, M.E.A. Estudo de caso em pesquisa e em avaliação educacional. Brasília: Liberlivro, 2005.

Belhoste, J. Exames e concursos. In: Van Zánten, A. Dicionário de Educação. Petrópolis: Vozes, 2011.

Bozu, Z. El professorado universitário novel: estúdio teórico de su processo de inducción o socialización professional. Revista Eletrônica de Investigación y Docencia. n.3, p.55-72, 2010. Disponible en: . Acceso en: 13 jul. 2015.

Carvalho. C.H.A. Política para a educação superior no governo Lula: expansão e financiamento. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.58, p.209-244, 2014. htpp://dx.doi.org/10.11606/isnn.2316-901X.v0i58

Contreras, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

Cunha, M.I. A iniciação à docência universitária como campo de investigação: tendências e emergências contemporâneas. In: Isaia, S.M.A. (Org). Qualidade da educação superior: a universidade como lugar de formação. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011. p.201-212.

Cunha, M.I. O professor iniciante: o claro/escuro nas políticas e nas práticas de formação profissional. In: Congresso Internacional sobre Professorado Principiante e Inserción Profissional a la Docência. 3., 2012. Santiago de chile. Anais... Santiago de Chile: Universidad de Sevilha e Universidad Autonoma de Chile, 2012.

Cunha, M.I.; Zanchet, B. Qualidade acadêmica e recrutamento docente: valores e culturas em questão. In: Seminário Internacional da Rede Sul Brasileira de Investigadores de Educação Superior, 9., 2010, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: PUCRS, 2010.

Feixas, M. El profesorado novel: estudio de su problemática en la Universitá Autónoma de Barcelona. Boletín RED-U, v.2, n.1, p.33-44, 2002. Disponible en: . Acceso en: 10 mar. 2014.

Fondón, I.; Madero M.J.; Sarmiento, A. Principales problemas de los professores principiantes em la enseñanza universitária. Formación Universitaria, v.3, n.2, p.21-28, 2010.

Garcia, M.M.; Anadon, S.B. Reforma Educacional, intensificação e auto-intensificação do trabalho docente. Educação & Sociedade, v.30, n.106, p.63-85, 2009. Disponível em . Acesso

em 20 jun. 2015.

Gatti, B.A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, v.31, n.113, p.1355-1379, 2010.

Hypólito, A.L.M. Trabalho docente e o novo plano nacional de educação, Cadernos Cedes, v. 35, n.97, p.475-648, 2015.

Isaia, S.M.; Bolzan D.P.V.; Maciel A.M.R. (Org.). Qualidade da educação superior: a universidade como lugar deformação. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011.

Lessard, C. A universidade e a formação profissional dos docentes: novos questionamentos. Educação & Sociedade, v.27, n.94, p.201-227, 2006.

Lima, E.F. Análise das necessidades formativas de docentes ingressantes de uma universidade pública. In: Reunião Anual da Anped, 36., 2013, Natal. Anais... Natal: Anped, 2013.

Maués, O. O docente do ensino superior: condições, precarização, intensificaçãoo do trabalho e a formação. In: Melo, G.F.; Malusá, M. Profissão docente na educação superior múltiplos enfoques. Jundiaí: Paco Editorial, 2015.

Nóvoa, A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Revista Educacion, n.350, p.203-218, 2009.

Oliveira, D.A.; Assunção, A.A. Condições de trabalho docente. In: Oliveira, D.A.; Duarte, A.M.C.; Vieira, L.M.F. Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG, 2010. Disponível em: .

Acesso: 28 jun. 2016.

Pimenta, S.G.; Anastasiou, L.G.C. Docência no ensino superior.

São Paulo: Cortez, 2002.

Popkewitz, T. The social contexts of schooling, change and educacional research. In: Taylor, P.H. (Ed.) Recent developments in curriculum studies. Windsor: NFERNelson, 1986.

Roldão, M.C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, v.12, n.34, p.94-103, 2007.

Ruiz, C.M. El desafio de los profesores principiantes universitarios ante su formación. In: Garcia, C.M. (Coord.). El profesorado principiante: inserción a la docência. Sevilha: Octaedro, 2009.

Sacristán, J.G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: Nóvoa, A. (Org.).Profissão professor. Porto: Porto, 1995.

Sguissardi, V. Educação superior no Brasil: democratização

ou massificação mercantil? Educação & Sociedade, v.36,

n.133, p.867-889, 2015.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v22n2a3657

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.