Cultura profissional e formação docente continuada: um estudo de caso

Rosimar Serena Siqueira Esquinsani, Valdocir Antonio Esquinsani

Resumo


Considerando a aprendizagem como princípio de cultura profissional docente, discutem-se algumas ações de formação continuada para professores. Para tanto, detalham-se repercussões de eventos voltados para a formação de professores, problematizando a vinculação desses eventos com a cultura profissional inerente à docência. Este trabalho é parte de uma pesquisa documental, com dados coletados em uma rede pública municipal de ensino, no interior do Rio Grande do Sul, ao longo de dezoito anos (1997-2014). Os dados permitem o debate sobre a aprendizagem e a cultura profissional dos professores e levam a concluir que a formação continuada é um princípio de cultura profissional e traz a discussão sobre a aprendizagem do ponto de vista de quem tem a função de ensinar.

Palavras-chave: Aprendizagem. Cultura profissional. Ensino público. Formação de professores.


Palavras-chave


Aprendizagem; Cultura profissional; Ensino público; Formação de professores

Texto completo:

PDF

Referências


Alarcão, I. Formação continuada como instrumento de profissionalização docente. In: Veiga, I.P.A. (Org.). Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 1998. p.99-122.

Brasil. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Casa Civil, 1996. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2015.

Contreras, J. Autonomia de professores: os valores da profissionalização e a profissionalidade docente. São Paulo: Cortez, 2002.

Cury, C.R.J. Potencialidades e limitações da certificação de professores. Meta: Avaliação, v.1, n.3, p.297-315, 2009.

Day, C. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001. (Coleção Currículo, Políticas e Práticas).

Di Giorgi, C.A.G. et al. Necessidades formativas de professores de redes municipais: contribuições para a formação de professores critico-reflexivos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

Gatti, B.A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v.13, n.37, p.57-72, 2008.

Gatti, B.A.; Barreto, E.S.; André, M.E.D.A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Unesco, 2011.

Libâneo, J.C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2004.

Menezes, C.M.A. Educação continuada de educadores: superando ambiguidades conceituais. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, v.12, n.20, p.311-320, 2003.

Nóvoa, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: Nóvoa, A. (Org.). Vidas de professores. Portugal: Porto, 1992. p.9-30.

Nóvoa, A. Formação de professores e profissão docente. In: Nóvoa, A. (Org.). Os professores e a sua formação. 3.ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997. p.9-33.

Nóvoa, A. Os professores e o novo espaço público da educação. In: Tardif, M.; Lessard, C. (Org.). O ofício de professor: história, perspectivas e desafios internacionais. Petrópolis: Vozes, 2008. p.217-233.

Pérez Gómes, A. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: Nóvoa, A. (Org.). Os professores e a sua formação. 2.ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p.93-114.

Pérez Gómes, A. A cultura escolar na sociedade neoliberal. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Schön, D. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

Sacristán, G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: Nóvoa, A. (Org.). Profissão professor. Lisboa: Porto Editora, 1999. p.61-92.

Tardif, M. Saberes docentes e formação profissional. 8.ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

Yin, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v20n3a2912

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.