Linguagem Religiosa: constituição, tensividade, evento | Religious language: Constitution, tensivity, event

Júlio Paulo Tavares Mantovani Zabatiero

Resumo


Este artigo discute a natureza da linguagem religiosa a partir das refl exões sobre a linguagem no campo das Ciências das Religiões no Brasil, em diálogo com os estudos franceses sobre o discurso e a semiótica. Questionando a tradicional distinção entre linguagem científi ca e linguagem religiosa, o artigo defende a hipótese de que esta última pode ser melhor compreendida enquanto “discurso constituinte”, de modo que suas diferenças e similaridades com os demais tipos de discurso constituinte são destacadas. A partir dessa revisão da conceituação da linguagem religiosa, enfi m, o artigo discute a noção metafísica do sagrado e sua compreensão como o fundamento da Religião e apresenta a hipótese adicional de que é o “evento” que serve como archéion do discurso constituinte religioso. A partir dessas hipóteses defende-se uma noção de linguagem religiosa que pretende escapar do binarismo a que está submetida parte da discussão acadêmica sobre a Religião e sua Linguagem.


Palavras-chave


Discurso. Evento. Religião. Sagrado. Tensividade.

Texto completo:

PDF

Referências


BADIOU, A. Logiques des Mondes. Paris: Éditions du Seuil, 2006. p.406-410.

BADIOU, A. Logics of worlds. London: Continuum, 2009.

BALOCCO, A.E. A perspectiva discursivo-semiótica de Gunther Kress: o gênero como um recurso representacional.

In: MEURER, J.L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH, D. (Org.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola

Editorial, 2005. p.65-80.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

HABERMAS, J. Zwischen Naturalismus und Religion: Philosophische Aufsätze. Berlin: Suhrkamp Verlag, 2005.

HABERMAS, J. Nachmetaphysisches Denken II: Aufsätze und Repliken. Berlin: Suhrkamp Verlag, 2012.

IGREJA EVANGÉLICA DO AVIVAMENTO BÍBLICO. Princípios gerais. São Caetano do Sul: Igreja Evangélica do

Avivamento Bíblico, c2018. Disponível em .

Acesso em: 8 ago. 2018.

LEONEL, J. Religião e linguagem literária: contribuições da literatura para a interpretação de textos religiosos.

Reflexão, v.41, n.1, p.47-59, 2016. http://dx.doi.org/10.24220/2447-6803v41n1a3716.

MAINGUENEAU, D. Analisando discursos constituintes. Revista do GELNE, v.2, n.2, p.1-12, 2000.

MAINGUENEAU, D. Discurso literário. São Paulo: Contexto, 2006.

MAINGUENEAU, D.; COSSUTTA, F. L’Analyse des discours constituants. Langages, n.117, p.112-25, 1995.

MENDONÇA, A.G. A experiência religiosa e a institucionalização da religião. Estudos Avançados, v.18, n.52, p.29-

, 2004.

NOGUEIRA, P.A.S. Do silêncio do texto às imagens da ressurreição: cultura visual e interpretação bíblica. Pistis e

Práxis: Revista de Teologia Pastoral, v.3, n.1, p.221-237, 2011.

NOGUEIRA, P.A.S. Introdução. In: NOGUEIRA, P.A.S. (Org.). Linguagens da religião: desafios, métodos e conceitos

centrais. São Paulo: Paulinas, 2012a. p.9-12.

NOGUEIRA, P.A.S. Religiões como texto: contribuições da semiótica da cultura. In: NOGUEIRA, P.A.S. (Org.).

Linguagens da religião: desafios, métodos e conceitos centrais. São Paulo: Paulinas, 2012b. p.13-30.

TEIXEIRA, L. Da imperfeição: um marco nos estudos semióticos. Galáxia, n.4, p.257-261, 1995.

USARSKI, F. Os enganos sobre o sagrado: uma síntese da crítica ao ramo “Clássico” da fenomenologia da religião

e seus conceitos-chave. Revista de Estudos da Religião, n.4, p.73-95, 2004.

ZILBERBERG, C. Des formes de vie aux valeurs. Paris: PUF, 2011. p.14-15.

WITTGENSTEIN, L. Lectures and conversations on aesthetics, psychology, and religious Belief. Berkeley: University

of California Press, 1966.




DOI: https://doi.org/10.24220/2447-6803v44e2019a4382

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.