A possibilidade do diálogo inter-religioso entre cristãos e budistas na fenomenologia crítica de Paul Tillich

Tommy Akira Goto

Resumo


O objetivo deste trabalho é destacar como Paul Tillich (1886-1965) elaborou, metodologicamente, o diálogo inter-religioso em sua teologia e filosofia. Apesar do autor ter desenvolvido uma metodologia própria em sua teologia – tal como o método de correlação e o círculo teológico – encontra-se, também, no desenvolvimento desta a fenomenologia de Edmund Husserl e de Martin Heidegger e sua aplicabilidade na investigação da experiência religiosa. No entanto, segundo Tommy A. Goto, a fenomenologia presente no pensamento de Tillich não é nem a pura de Husserl, nem a hermenêutica desenvolvida posteriormente por Heidegger, mas sim uma “fenomenologia crítica”. Esta se resume na união de ambos os elementos fenomenológicos, ou seja, o intuitivo-descritivo da fenomenologia husserliana e o crítico-existencial da heideggeriana. É a partir dessa “fenomenologia crítica” que se dá a possibilidade do diálogo inter-religioso entre o cristianismo e as religiões não cristãs, tal como o budismo japonês. Para explicitar essa possibilidade, destacar-se-á como exemplo o diálogo que Paul Tillich desenvolveu com os budistas após a sua viagem ao Japão, e que apresentou sob a forma de “Conferências de Bampton” no outono de 1961. Nesse texto, Tillich analisa um possível diálogo entre o budismo e o cristianismo, deixando claro como se pode realizar um encontro inter-religioso baseado numa metodologia teológico-filosófica.

Palavras-chave: Fenomenologia da religião. Método fenomenológico. Teologia.


Palavras-chave


Fenomenologia da religião. Método fenomenológico. Teologia.

Texto completo:

PDF

Referências


CALVANI, C.E.B. Paul Tillich: aspectos biográficos, referenciais teóricos e desafios teológicos. Estudos de Religião, n.10, (Esp.), p.11-35, 1995.

GOTO, T.A. O Fenômeno religioso: a fenomenologia em Paul Tillich. São Paulo: Paulus, 2004.

HIGUET, E.A. O método da teologia sistemática de Paul Tillich: a relação da razão e da revelação. Estudos de Religião, n.10, (Esp.), p.11-35, 1995.

MERTON, T. Místicos e mestres Zen. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

TILLICH, P. Existencialismo y psicoterapia. In: RUITENBEEK, H.M. (Org.). Psicoanálisis y filosofia existencial. Buenos Aires: Paidós, 1965. p.25-36.

TILLICH, P. Filosofia de la religion. Buenos Aires: Megápolis, 1973.

TILLICH, P. Teologia de la cultura y otros ensayos. Buenos Aires: Amorrortu editores, 1974.

TILLICH, P. Perspectivas da teologia protestante nos séculos XIX e XX. São Paulo: ASTE,1999.

TILLICH, P. Do nome sagrado - (Myôgô ni tsuite). Revista Correlatio, v.1, n.10, p.133-160, 2002.

TILLICH, P. Teologia sistemática. São Leopoldo: Sinodal, 2005.




DOI: https://doi.org/10.24220/2447-6803v40n2a3313

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Bases de datos e repositórios

 


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.