Estética e ética do imaginário, educação fática e hermenêutica simbólica em Le martyre de Saint-Sébastien de Claude Debussy

Denis Domeneghetti Badia, J.C. de Paula Carvalho

Resumo


Situando Le Martyre de Saint-Sébastien na “bacia semântica da Decadência”, o texto pretende realizar uma mitanálise da obra entrelaçando os mitemas literários aos temas e motivos da estruturação musical, respectivamente na esteira de Gilbert Durand e de Vladimir Jankélévitch. Trata-se de um exercício recente no Brasil e também de uma obra culturalmente assaz significativa. Tentamos aqui seguir as pegadas - poupando-se o peso da excessiva e técnica análise estético-musicológica - de Michel Guiomar, emérito discípulo de Bachelard. A obra irá se configurar como um “rito particular na Decadência”, mais genericamente, como “ritual poético ou dispositivo mítico-ritual” abrindo, assim, caminho para amplificações éticas de uma educação como formação de sensibilidades de teor “mythopoiético”.

Palavras-chave: Debussy, estética, ética, imaginário, educação.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.