O simbolismo das criações apolíneas e dionisíacas Uma análise crítica da estética do jovem Nietzsche

Clademir Luís Araldi

Resumo


O simbolismo dos impulsos artísticos apolíneos e dionisíacos ocupa um lugar central na filosofia do jovem Nietzsche, à medida que permite uma nova interpretação de mitos gregos e da sabedoria dionisíaca. Analisamos neste artigo o pretenso caráter original do simbolismo das criações estéticas nietzschianas, confrontando-o criticamente com a tradição romântica alemã.

Palavras-chave: apolíneo – arte – dionisíaco – gênio – simbolismo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.