“O Messias sou eu”: Reflexões sobre o messianismo de Emmanuel Lévinas

Cristina Beckert

Resumo


Com este texto pretendemos apresentar a interpretação de Lévinas do messianismo judaico, em particular a versão rabínica do mesmo, em contraste com a versão popular ou apocalíptica, considerada, pelo autor, mais próxima de uma vivência primitiva do sagrado. Recorrendo aos Textes messianiques, procurámos, a partir deles, fundamentar a tese de um messianismo levinasiano, suportado pela identificação do Messias com a subjectividade ética enquanto sujeição à alteridade e responsabilidade infinita, expressa nas figuras do refém e da substituição a outrem. Paralelamente, intentou-se mostrar como a introdução de um tempo messiânico no devir histórico permite superar a dicotomia entre tempo e eternidade e conferir à história um sentido ético.

Palavras-chave: Messianismo, subjectividade, responsabilidade, história.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Bases de datos e repositórios

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


  

Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.