L'iconicité byzantine à I'épreuve de Merleau-Ponty

Georges Arabatzis

Resumo


O artigo examina a iconicidade bizantina através da filosofia de Merleau-Ponty. A razão dessa aproximação é, ao mesmo tempo o fato de Merleau-Ponty ter mostrado um vivo interêsse quanto à pintura e também porque êle tentou transcender o modêlo tradicional da história da filosofia, incorporando o que se acha nas fronteiras da filosofia, cobrindo o espaço que vai de outras maneiras de pensar às ciências humanas (lingüistica, antropologia). Na última fase de sua atividade filosófica e em escritos póstumos, Merleau-Ponty êste pensado diversamente o nome de 'não-filosofia'. A iconicidade biantina, sendo a 'filosofia' da pintura bizantina, é a nosso ver, muito propícia a ser objeto de uma análise, na perspectiva da não-filosofia merleau-pontiana. No fm do percuso, aparece a noção de corporiedade, que é central tanto na pintura bizantina quanto no pensamento de Merleau-Ponty, principalmente como 'carne do ser' e como negatividade material que desemboca no estabelicimento de uma relação entre carne icônica e espírito iconico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.