Correlação entre qualidade de vida de mulheres obesas e a prática do deep water running pela análise canônica

Sérgio Ricardo Pasetti, Agnaldo Gonçalves, Carlos Roberto Padovani, Flávio Ferrari Aragon

Resumo


Objetivo

Investigar a correlação entre mudanças de aptidão física e qualidade de vida em obesas através do deep water running em intervenção de 17 semanas (três sessões semanais), sem dieta específica.

Métodos

Estudo quase-experimental de grupo único, com avaliação inicial e final. Avaliaram-se 31 mulheres (38 a 57 anos) com 30 a 40% de gordura. Consideraram-se percentual de gordura, circunferências, condição cardiorrespiratória, flexibilidade, força e qualidade de vida. Aplicaram-se, com 5% de significância, o teste “t” de Student, teste não-paramétrico de Wilcoxon e análise canônica para associação entre qualidade de vida e aptidão física.

Resultados

Constatou-se melhora da condição cardiorrespiratória (p<0,001), da força (p<0,001), da flexibilidade (p<0,001), redução da gordura corporal (p<0,001), aumento da massa muscular (p<0,001) e evolução da qualidade de vida nos domínios físico (p<0,001), psicológico (p<0,001) e das relações sociais (p<0,005). O valor de 0,83 (p<0,01) da análise canônica apontou correlação significante entre qualidade de vida e aptidão física.

Conclusão

Observou-se o efeito singular do deep water running, indicando que este tipo de exercícios físicos pode efetivamente beneficiar a evolução da qualidade de vida de obesas.

Termos de indexação: exercício; mulheres; obesidade; qualidade de vida.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.