Impacto da cirurgia bariátrica “tipo capella modificado” sobre a perda ponderal em pacientes com obesidade mórbida

Daniela Vicinansa Mînaco, Vânia Aparecida Leandro Marhi, Nilton Aranha, Nelson Ary Brandalise

Resumo


Objetivo

Avaliar a perda ponderal no período pós-operatório de 12 meses, de pacientes submetidos à gastroplastia redutora laparoscópica.

Métodos

Foi realizado um estudo prospectivo com 90 pacientes portadores de obesidade mórbida submetidos a gastroplastia redutora laparoscópica “tipo Capella modificado”. Nos períodos de 3, 6 e 12 meses de pós-operatório, foi aplicado um protocolo próprio, com dados de identificação do paciente e de avaliação nutricional, tais como: peso pré e pós-operatório, altura, índice de massa corporal pré e pós-operatório, peso ideal, excesso de peso e porcentagem de perda de excesso de peso. Para a comparação de medidas entre 2 grupos, foi utilizado o teste de Mann-Whitney e para explicar a variabilidade das medidas em função dos fatores tempo de seguimento, idade e sexo, foi utilizada a análise de variância. As correlações foram realizadas pelo coeficiente de Spearman, sendo adotado nível de significância de 5% (p<0,05).

Resultados

Verificou-se que a maior porcentagem de perda ponderal ocorreu nos primeiros 3 meses de pós-operatório, não havendo diferença significativa da idade entre os sexos (p=0,3948). Já quanto às variáveis estudadas, no período pré-operatório observou-se,diferença significativa para o excesso de peso entre os sexos (p<0,0001), ocorrendo entre os homens o excesso de peso maior. Ao longo do período de seguimento pós-operatório, verificou-se uma perda ponderal na população estudada, embora não significante estatisticamente (p=0,4448 para o sexo feminino e p=0,4256 para o sexo masculino). Foi constatada influência da idade na variabilidade do peso para o sexo feminino (0,0082), não ocorrendo a mesma influência para o sexo masculino (0,0314), ou seja, a idade influenciou só no caso das mulheres. Quanto à análise da porcentagem de perda de excesso de peso, verificou-se que não houve diferença significativa na mudança das porcentagem de perda de excesso de peso entre os sexos; mas, para ambos os sexos, verificou-se mudança significativa na %PEP ao longo do período de seguimento (p<0,0001). Foi encontrada correlação negativa entre idade e porcentagem de perda de excesso de peso (3 meses de pós-operatório: r=-0,12205, p=0,2518; 6 meses de pós-operatório: r=-0,28187, p=0,0071; 12 meses de pósoperatório: r=-0,39382, p=0,0071); ou seja, a partir de 6 meses de pós-operatório, quanto maior a idade, menor a porcentagem de perda de excesso de peso. Tal resultado nos permite supor que a idade dificulta a porcentagem de perda de excesso de peso após a cirurgia.

Conclusão

Segundo os dados obtidos no período estudado, a cirurgia aplicada mostrou-se um método eficaz no tratamento dos obesos mórbidos, sendo fundamental o seguimento pós-operatório para garantir o acompanhamento nutricional, no sentido de promover o aconselhamento dietético adequado ao impacto da perda ponderal.

Termos de indexação: cirurgia bariátrica; perda de peso; obesidade mórbida.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.