Religião e paz: virtude e ação para uma ética da convivência | Religion and peace: virtue and action for an ethics of coexistence

Hélerson Silva

Resumo


A partir de uma interpretação política da Ethica Nicomachea, procurou-se investigar a influência da isocracia ateniense, ou democracia participativa, no pensamento do filosófo de Estagira e sua contribuição ao mundo ocidental. Mediadas pela phronesis, as virtudes moral e intelectual permitem o estabelecimento de critérios deliberativos para os processos decisórios na ágora, garantindo a felicidade na pólis, mas não a paz na cena internacional. Enquanto a felicidade se apresenta como um “estado de espírito”, a paz, por sua vez, depende de arranjos no campo da política internacional, firmados ao longo dos tempos em ideais iluministas, liberais ou dos direitos humanos. A presença das religiões no espaço público moderno aparece como importante elemento de tensão ou legitimação do próprio estado-nação e de seu ordenamento jurídico, considerando ainda que elas devem ser levadas em conta quando se pleiteia uma paz mais duradoura.


Palavras-chave


Paz. Religião. Virtude.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Política. Brasília: Editora UnB, 1985.

ARNS, E.P. A paz e as religiões. Estudos Avenida, v.18, n.52, p.341-350, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S0103-40142004000300022&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 ago. 2018.

HUNTINGTON, S.P. O choque de civilizações e a recomposição da ordem mundial. Rio de Janeiro: Objetiva, 1997.

ORO, A.P.; URETA, M. Religião e política na América Latina: uma análise da legislação dos países. Horizontes Antropológicos, v.13, n.27, p.281-310, 2007.

ZINGANO, M. Aristóteles: tratado da virtude moral: Ethica Nicomachea I 13–III 8. São Paulo: Odysseus Editora, 2008.




DOI: https://doi.org/10.24220/2525-9180v4n12019a4640

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos de Fé e Cultura

ISSNe 2525-9180 (eletrônico)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.